10 curiosidades sobre a cadela Laika

1. A cachorra Kudriavka-Laika foi o primeiro ser vivo a ir para espaço, no dia 3 de novembro de 1957, às 22h28, a bordo da nave Sputnik II.

2. Laika foi capturada nas ruas de Moscou. Acreditava-se que um cachorro de rua teria mais resistência aos treinamentos, já que lutava diariamente por sua sobrevivência.

3. O objetivo da missão era analisar como o organismo de um ser vivo suportaria as condições espaciais.

4. Laika passou pelos mesmos testes de um ser humano, e foi escolhida por apresentar peso e altura ideais: menos de 6 quilos e 35 centímetros.

5. Quando foi para o espaço, Laika vestia um macacão repleto de captadores que acompanhavam seus batimentos cardíacos, pressão arterial e frequência respiratória.

Livro ensina a disciplinar os cachorros rebeldes

6. Muitos boatos surgiram sobre sua morte, que só foi esclarecida em 2002. Um dos organizadores da missão, Dmitri Malashenkov, revelou que Laika morreu depois de um período de sofrimento, horas após a decolagem. Assustada com o barulho do lançamento, seu coração chegou a bater três vezes mais rápido do que o habitual. Em órbita, Laika se acalmou, mas problemas com a temperatura na cápsula, que atingiu 41ºC, foram fatais. Cinco horas depois de ir para o espaço, Laika já não dava sinais de vida.

7. A cápsula onde estava o corpo de Laika foi consumida pela atmosfera no dia 14 de agosto de 1958.

8. A experiência com Laika permitiu que, em 1961, a Rússia enviasse o primeiro homem da história ao espaço. No dia 12 de abril, Yuri Gagarin orbitou ao redor da Terra durante 90 minutos, retornando ao solo em segurança.

9. Em 11 de abril de 2008, um monumento em homenagem a Laika foi inaugurado no centro de Moscou, capital da Rússia. Localizado no Instituto de Medicina Militar, a estátua tem 2 metros de altura e é feita de bronze.

10. Laika, em russo, quer dizer algo como "latidor" ou "ser que late". Apesar de Laika ser lembrada como o primeiro animal a viajar ao espaço, outros animais russos (cachorros) e americanos (ratos) já tinham feito viagens suborbitais (aquelas que não chegam a ultrapassar a órbita da Terra).