1. O casal sueco Rehnberg, fã de “Jornada nas Estrelas”, escolheu o nome de um dos personagens da série para batizar o filho. Os juízes suecos até tentaram proibir que a criança se chamasse “Q”, mas, no fim, o pequeno Q Anbjörn Jackrapat Rehnberg ficou com esse nome mesmo.

2. Na Nova Zelândia, os pais da pequena Talula Does the Hula From Hawaii (em português, “Talula dança a Hula do Havaí”) foram obrigados a mudar o nome da filha. De acordo com o juiz que tomou a decisão, o contrangimento da criança era tanto que ela se recusava a divulgar o nome para os colegas de escola.

3. Um romeno fã de carros não pensou duas vezes antes de batizar sua filha. Escolheu “SLK”, nome de um automóvel da Mercedes-Benz. E ainda afimrou que, se fosse menino, se chamaria BMW.

4. Um casal de mexicanos que se conheceu pela internet resolver batizar o filho com o nome de um buscador, Yahoo, em março de 2005.

5. Quando o Brasil era uma colônia portuguesa, era muito comum os nobres terem mais de dez nomes — como dom Pedro I, que tinha outros 18. Talvez por isso o pai dessa cidadã paulista tenha escolhido o nome: “Tamara Taiana Elis Regina Satiko Harumi Clelia Cristina Bethania Angelica Amelia Catarina Rafaela Denis Berenice Lidia Clementina Magnolia Branca Galdino”. Se você perdeu a conta, ela ganha de dom Pedro I: são 20 nomes no total.

6. Em abril de 2007, um juiz brasileiro autorizou que Arielly Rodrigues e Cristiano Costa, fãs de “Senhor dos Anéis”, dessem o nome de filho “Lehgolaz” ao seu filho, em homenagem a um dos elfos da saga. A mãe ainda reclamou da demora em aceitarem a escolha: “O nome não é comum, mas não tem nada que possa expor meu filho ao ridículo”.

7. Os filhos da cantora Baby do Brasil se chamam Sarah Sheeva, Zabelê, Nana Shara, Kriptus Rá Baby, Krishna Baby e Pedro Baby.

Livro reúne 100 empregos idiotas… e como conseguí-los.