1. Nenê de Vila Matilde
No dia 1º de janeiro de 1949, data da criação da escola, os sambistas que criaram a Nenê chegaram a um impasse: estava tudo pronto para a agremiação ser fundada, só faltava o nome para que o registro fosse feito. Algumas alternativas foram cogitadas, como Unidos de Marapés e Primeiro de Janeiro, mas nenhum agradou a todos. Enquanto isso, Seu Nenê tocava despreocupado seu pandeiro, em pleno cartório. O tabelião logo perguntou: “Quem é esse senhor?”. Depois de ouvir sobre o Seu Nenê, logo deu a dica: por que a escola não se chamaria Nenê? Foi assim que a Nenê de Vila Matilde ficou com o nome de seu primeiro presidente, Seu Nenê, que esteve à frente da escola por 47 anos, até 1996, quando deixou o cargo por problemas de saúde.

2. Pérola Negra
Existem duas versões para a origem do nome Pérola Negra. Resultado da fusão da Escola de Samba Acadêmicos de Vila Madalena com o Bloco Boca das Bruxas, a Pérola Negra teria ganhado esse nome porque essa joia é a mais rara da natureza. Assim, a escola de samba seria uma joia rara do samba. Outra versão diz que um dos fundadores da escola escolheu o nome após ver o rótulo de uma garrafa da cerveja Pérola Negra. A Pérola Negra estreou no carnaval paulistano em 1974, quando as escolas ainda desfilavam na avenida São João.

3. Tom Maior
A escola de samba do Sumaré surgiu em 14 de fevereiro de 1973, fundada por ex-integrantes da Camisa Verde e Branco. A escolha do nome veio da letra da música homônima, de Martinho da Vila. Nela, Martinho canta: “Vai ter de amar a liberdade, só vai cantar em tom maior”. Pela teoria musical, as canções executadas em tons menores costumam soar tristes. As que são executadas em tons maiores, ao contrário, soam alegres. Por isso, a escola de samba Tom Maior escolheu esse nome: pretende levar alegria aos foliões.

4. Vai-Vai
Havia um time de futebol no bairro do Bixiga, no final da década de 1920, chamado Cai-Cai. Ele mantinha um grupo de choro, que costumava animar as festas promovidas pelos atletas. Dois rapazes que também moravam na região, Livinha e Benedito Sardinha, costumavam frequentar as comemorações sem serem convidados, e logo começaram a ser chamados de “turma do vai-vai”. Tempos depois, quando a dupla de penetras resolveu fundar seu próprio conjunto, achou interessante manter o nome. O Vai-Vai cresceu, virou bloco carnavalesco e acabou dando origem à escola de samba.

5. X-9 Paulistana
Fundada em 1975, a X-9 surgiu de um encontro de boleiros de fim-de-semana. Um grupo de amigos que costumava comemorar as vitórias do Grêmio Internacional Parada Inglesa, time do bairro na zona norte, com muito batuque e cerveja gelada teve a ideia de criar uma escola de samba. Daí surgiu a Filhotes da X-9, nome original da escola de samba. Criado pelo norte-americano Dashiell Hammet, o Agente X-9 era um herói de quadrinhos muito famoso na década de 1930, que também fez sucesso no Brasil. É daí que vem o nome da escola de samba. Com o tempo, a Filhotes da X-9 mudou de nome para X-9 Paulistana, e também mudou de bairro: saiu da Parada Inglesa para o Carandiru.

6. Camisa Verde e Branco
Quem pensa que a escola tem esse nome por ter alguma relação com a torcida organizada do Palmeiras está enganado. É apenas uma coincidência as cores da escola serem as mesmas cores do time. Ambos foram fundados no mesmo ano, 1914, quando a Mancha Verde dos estádios estava longe de existir. Para reforçar a tese, o Camisa Verde e Branco é a escola-madrinha da Gaviões da Fiel, composta por membros da torcida do Corinthians, o grande rival palmeirense.

7. Rosas de Ouro
É mais uma escola de samba paulistana cujo nome costuma gerar confusão. A escola não tem nada a ver com o tradicional cordão carioca Rosa de Ouro, homenageado por Chiquinha Gonzaga na primeira marchinha composta no país, “Ó Abre-alas” (“Rosa em ouro é quem vai ganhar…”). A escola de samba Rosas de Ouro foi batizada com esse nome por causa de uma condecoração criada pelo papa Gregório II no ano de 730 para homenagear moças católicas. O prêmio era o buquê Rosas de Ouro.

8. Mocidade Alegre
A escola de samba teve origem a partir de um bloco carnavalesco em que homens saíam vestidos de mulher. Na época da fundação, em 1967, os integrantes queriam batizar a escola de “Mocidade Louca”. Mas Evaristo de Carvalho, radialista da Rádio América, sugeriu o nome “Mocidade Alegre”, pela alegria que os jovens esbanjavam ao desfilar pelas ruas no Carnaval.

9. Estrela do Terceiro Milênio
A escola foi fundada em 1998, época em que muito se falava sobre a virada do milênio, que se daria em 2001. Foi em homenagem a esse acontecimento que a primeira escola de samba do bairro do Grajaú foi batizada.

10. Império de Casa Verde

Apesar do nome, a escola tem como cores oficiais o azul e o branco. O nome “Casa Verde” vem do bairro da escola, na Zona Norte.