As atrações do Super Bowl não se resumem ao esporte. As performances musicais e os lançamentos comerciais são às vezes mais esperados pelo público que o próprio jogo.

Em 1967, um anúncio de 30 segundos durante o Super Bowl custava 42 mil dólares. Em 2012, o preço era de cerca de 3,5 milhões de dólares. Trata-se do tempo mais caro da televisão mundial. No Brasil, o intervalo mais caro da TV é o do Jornal Nacional (Rede Globo): um comercial de 30 segundos custa 478 mil reais.

Devido à enorme audiência, os comerciais veiculados durante o Super Bowl têm 58% a mais de chances de permanecer na memória do público do que aqueles veiculados durante outros programas.

Em 1984, a Apple lançou o primeiro computador Macintosh durante o Super Bowl. No comercial, uma mulher arremessa um martelo em direção a uma tela gigante com o nome “Big Brother”, em alusão ao personagem de George Orwell.

Em 2003, para comemorar seu 150ª aniversário, a Levi’s sorteou durante a final do Super Bowl uma calça costurada com diamantes. Ela valia 85 mil dólares (a mais cara do mundo) e foi fabricada no Brasil. Além disso, em seus bolsos, havia 150 lingotes de ouro de mil dólares cada, um para cada ano de vida da empresa.

Em 2012, o banco First Bank resolveu inovar com uma simples ideia. Sua estratégia de marketing foi utilizar o comercial mais caro do mundo para oferecer aos espectadores a chance de ir ao banheiro. No vídeo, um engravatado sentado em uma poltrona diz: “No First Bank, os serviços ao consumidor são prioridade. Se você é um de nossos clientes e está preocupado em perder algum momento do jogo ou outro comercial mais empolgante, agora é a melhor hora de ir ao banheiro.”