10 mitos do cotidiano que foram desvendados

1. O arroz não deixa o saleiro entupir

Verdadeiro. Em dias ou ambientes úmidos, o arroz ou feijão têm a capacidade de absorver a umidade do ar, impedindo que o sal fique molhado e não passe pelos furos do saleiro.

2. O açúcar ajuda a conservar melhor o pão

Verdadeiro. Uma das capacidades do açúcar é reter a água das massas. Esse processo prolonga a maciez do miolo, evitando que o pão fique duro rapidamente.

3. Passar a aliança no olho cura o terçol

Em termos. O terçol é uma inflamação em glândulas na pálpebra que produzem gordura. A melhor maneira de eliminar a inflamação é fazer uma compressa quente. Esfregar uma aliança na mão e colocá-la na área inflamada produz o mesmo efeito da compressa. Mas usar uma gaze ou um algodão é, segundo os médicos, mais higiênico e muito mais rápido.

4. Passar álcool ajuda a curar a dor de garganta

Falso. Não há qualquer indício clínico que um lenço embebido em álcool ajude na cura de uma dor de garganta. O aquecimento da região por causa do álcool provoca uma sensação de bem estar provisória, que pode acabar sendo associada à cura dos sintomas. Além disso, o lenço com uma alta concentração de álcool pode causar intoxicação e queimaduras na pele.

5. O chiclete demora 7 anos para ser digerido

Falso. O chiclete é digerido pelo estômago e pelos intestinos assim que é engolido, como qualquer alimento. Não demora mais tempo nem gruda em algum órgão do corpo, provocando a morte, como outro mito costuma afirmar.

6. Animais podem prever desastres naturais

Verdadeiro. Os animais podem prever desastres, pois têm mais sensibilidade auditiva e de percepção de pressão. No caso de um terremoto ou de um maremoto, por exemplo, os animais conseguem sentir a pressão diferente do habitual, e são capazes de captar os sinais eletromagnéticos que as rochas produzem ao se romperem. Outro fator que deixa os animais à frente dos seres humanos na previsão de desastres é sua audição. Os seres humanos captam ondas sonoras entre 1 mil e 4 mil ciclos por segundo (cps), e não são capazes de escutar nada acima de 20 mil cps. Cães e gatos, no entanto, conseguem ouvir até 60 mil cps, enquanto ratos, golfinhos e baleias ouvem até 100 mil cps.

7. Canja de galinha ajuda a curar a gripe

Verdadeiro. A canja de galinha é servida a pessoas com gripes e resfriados por causa de dois elementos: a combinação do calor com um tipo de aminoácido da carne de galinha. O calor é importante para auxiliar na expectoração do muco. O aminoácido, chamado cisteína, liberado da carne quando cozida, faz com que o muco se torne menos espesso, e acaba agindo da mesma maneira que os xaropes descongestionantes.

8. As avestruzes enfiam a cabeça na terra

Falso. Se fizessem isso, morreriam sufocadas. Suas pernas são suficientemente grandes para essas aves se defenderem de quem as ataca - ou para fugirem correndo. Elas, na verdade, encostam o ouvido no chão para perceber a vibração do solo e a aproximação de eventuais predadores. Nessa posição, o animal também consegue se misturar com a vegetação e afastar qualquer perigo de ataque.

9. Um copo de vinho antes de dormir ajuda a ter uma boa noite de sono

Falso.
Por ter efeito sedativo, o vinho, a cerveja e outras bebidas alcoólicas podem ajudar a adormecer. Mas, sob efeito do álcool, a qualidade do sono costuma ser pior, fazendo a pessoa acordar diversas vezes durante a noite. O ideal, portanto, é evitar o consumo de bebidas alcoólicas até algumas horas antes de dormir.

10. Pegar friagem provoca resfriado

Falso. A baixa temperatura, por si só, não deixa as pessoas doentes. Na verdade, as células que combatem infecções tendem inclusive a aumentar quando o corpo enfrenta o frio. É a forma que nosso organismo se prepara para enfrentar o inverno. Além do mais, a temperatura ideal de multiplicação dos vírus da gripe é de 32oC. Em contato com o vento gelado (a chamada "friagem"), nossas narinas estão certamente mais frias do que isso.

Livro traz coletânea de pérolas da publicidade.