Por que Santo Antônio é chamado de "santo casamenteiro"?

Fernando de Bulhões nasceu em 1195 em Lisboa, Portugal. De família rica e nobre, tornou-se membro da Ordem de Santo Agostinho e foi sacerdote desde os 25 anos. Foi como sacerdote que que ele adotou o nome de Antônio de Pádua. Ele conheceu São Francisco de Assis e foi designado a lecionar teologia em Bolonha, na Itália, cargo este que logo rejeitou para poder peregrinar por vilas e comunidades pobres.

Foi justamente nessas peregrinações que Antônio começou a se tornar o santo casamenteiro. À época, para conseguir casar, as mulheres deveriam oferecer dotes (ou seja, dinheiro) à família do noivo. Então, ele arrecadava fundos para conseguir reunir os dotes e possibilitar que as mulheres conseguissem casar com os seus amados. Foi por isso, inclusive, que ele ficou famoso.

Fernando de Bulhões, já Antônio de Pádua, morreu em 1231 nos arredores da própria cidade de Pádua, na Itália. Já no ano seguinte ele foi canonizado pelo papa Gregório IX. Não pelo seu papel de "casamenteiro", mas sim por vários milagres a ele atribuídos, dentre os quais o mais famoso é o do sermão aos peixes: ao pregar em uma cidade dominada por hereges que não quiseram ouví-lo, ele se retirou e pregou na beira de um rio, aos peixes, que logo se levantaram para a superfície da água, como se estivessem o escutando.