Qual foi a primeira civilização a controlar o fogo?

Por ser uma reação natural, o fogo acompanhou a humanidade desde os seus primórdios. "Descobrir o fogo", então, fala mais sobre descobrir o domínio sobre ele e também suas utilidade e menos sobre ter sido o primeiro a observar a sua presença. Para várias civilizações antigas, ter o domínio sobre o fogo implicava em uma enorme vantagem sobre os povos vizinhos.

Era algo tão importante que os gregos por exemplo atribuíram a descoberta do fogo a Prometeu: ele teria roubado esse domínio de Zeus e entregue a humanidade. Irritado, Zeus condenou Prometeu e enviou doenças e desgraças para os homens através da Caixa de Pandora.

Os antropólogos acreditam que o homem controla o fogo há milhões de anos. Durante muitas décadas acreditou-se que os pioneiros foram os chineses de uma caverna em Cho-k’ ou-tien, mas na década de 1980 o antropólogo Lewis Binford passou a questionar esse pioneirismo. Ele considerou que as cinzas encontradas nas cavernas poderiam na verdade ser frutos de incêndios acidentais.

Além da caverna em Cho-k’ou-tien, outros pontos ao sul da China apresentam evidências de controle do fogo, assim como civilizações contemporâneas na Espanha e na Hungria - sempre entre 500 mil e um milhão de anos atrás. Uma característica comum a todas essas comunidades é o clima frio. Nos países de clima tropical, que não tinham uma necessidade tão grande de se aquecer, o fogo apareceu algumas gerações mais tarde sendo usado para celebrações religiosas e utilidades do dia-a-dia.