Quem criou o letreiro “Hollywood”?

 O letreiro Hollywood, símbolo da cidade de Los Angeles e da indústria cinematográfica, foi inaugurado em 13 julho de 1923. Inicialmente o letreiro no Mount Lee foi concebido para servir de propaganda para um empreendimento residencial chamado “Hollywoodland”. O empreendimento tinha entre seus sócios o empresário Harry Chandler, dono do jornal The Los Angeles Times,  e o banqueiro Hobart Johnstone Whitley. Cada letra tinha 9,1 metros de largura e 14 metros de altura. As 13 letras traziam um sofisticado sistema com 4.000 lâmpadas, que acendiam, na sequência “Holly”, “Wood” e “Land”.

O letreiro custou 21 mil dólares. A ideia é que ficasse ali por apenas um ano e meio. Só que o negócio não superou as dificuldades econômicas provenientes da Grande Depressão de 1929 e da Segunda Guerra Mundial (1939 – 1944), declarando falência ainda na década de 1940. O letreiro, que já havia aparecido em diversos filmes, começou a se deteriorar. A cidade acabou se apropriando do símbolo já famoso e, em 1949, a Câmara de Comércio de Hollywood conseguiu a autorização para retirar as quatro últimas letras (“land”), restando apenas “Hollywood”.

A degradação natural sofrida nas décadas de 1960 e 1970 incentivaram algumas celebridades a patrocinar a restauração do símbolo da cidade. Hugh Hefner, dono da revista Playboy, organizou um leilão em que a reforma de cada letra foi posta à venda por 27.777 dólares. Ele próprio pagou a letra “Y”. O roqueiro Alice Cooper foi um dos que aderiram, comprando um “O”, em memória do comediante Groucho Marx. O estúdio Warner Bros. pagou a segunda letra “O”. Assim, em agosto de 1978, graças aos 250 mil dólares em doações, o antigo letreiro foi substituído por um novinho em folha. As novas letras possuem os mesmos 14 metros de altura e variam entre 9,4 metros e 12 metros de largura. Os direitos do monumento foram, em 1992, oficialmente repassados para a cidade de Los Angeles, a Câmara de Comércio de Hollywood e o Encargo do Letreiro de Hollywood, órgão responsável pela manutenção das valiosas letras. Em 16 de setembro, a ainda desconhecida atriz Peg Entwistle, 24 anos, usou o letreiro para cometer suicídio. Ela se atirou da letra H e rolou pelo barranco. Seu corpo só foi encontrado dois dias depois.