Quem eram os cavalos dos filmes de faroeste?

Todo filme de faroeste que se preze tem um cowboy montado em seu cavalo. Mas, afinal, quem eram esses animais que entraram para a história do cinema? Cada ator tinha seu próprio cavalo? "Alguns atores famosos como Johny Wayne, James Stewart, Clint Eastwood faziam muitos personagens diferentes, então o natural era que o animal também mudasse de filme para filme", explica Rodrigo Pereira, jornalista e um dos autores de "A epopeia de Anthony Steffan - O Django brasileiro".

Porém, no caso dos filmes "faroeste B", muito populares nas matinês dos cinemas americanos, a relação era diferente: "Alguns cavalos se tornaram tão famosos quanto seus atores", explica Rodrigo. Buck Jones, por exemplo, filmou 50 películas com o cavalo Silver. A carreira do animal é extensa, com outros 20 filmes entre 1922 e 1946.

"Silver" também era o nome do cavalo do "Zorro". Entre 1933 e 1954, o Zorro foi apenas um programa de rádio, de modo que não havia um cavalo de verdade atuando. Quando a história foi para os cinemas, em 1940, um cavalo branco de verdade passou a atuar ao lado de um dos personagens mais emblemáticos de Hollywood.

Outro cavalo famoso no western norte-americano é Champions, parceiro de Jim Bannon em 70 filmes. O animal fez tanto sucesso que ganhou um seriado na CBS: "As aventuras de Champions" foi exibido entre 1955 e 1956.

"A parceria mais famosa foi entre o cavalo Trigger e o ator Roy Rogers", decreta Rodrigo. Foram 80 filmes e 100 episódios em seriados juntos. Inteligente, se aquietava quando ouvia "silêncio no set". Em inglês, "trigger" quer dizer "gatilho": "Ele foi batizado pelo Roy Rogers quando um amigo olhou para o cavalo e disse que era rápido como um gatilho", explica Pereira. Ele foi vendido empalhado em 2010 por 265,5 mil dólares.