Quem são os “Libertadores da América” homenageados no campeonato de futebol?

A Copa Libertadores da América foi criada pela Conmebol (Confederação de Futebol da América do Sul) em 1958 e teve sua primeira edição disputada em 1960. O objetivo era reunir os campeões nacionais de cada país em um torneio que proclamasse o campeão do Continente. O nome foi escolhido para homenagear as personagens fundamentais para a Independência dos países sul-americanos em relação às suas colônias europeias.

Entre os mais de 20 “libertadores da américa” estão Simon Bolívar (atuou na Independência de Bolívia, Venezuela,  Peru, Equador e até do Panamá, na América Central), José de San Martin (Argentina, Chile e Peru), Antonio José de Sucre (Bolívia), José Antônio Anzoátegui (Venezuela), Ignacio Warnes (Bolívia),  Bernardo O’Higgins (Chile) e D. Pedro I (Brasil). 

 

Ao longo dos mais de 50 anos do torneio, vários clubes cujos nomes também homenageiam os libertadores da américa (ou as cidades que homenageiam esses personagens) disputaram a competição. Dentre os exemplos, estão o Bolívar (Bolívia), o Universitario San Martin (Peru), o Universitário de Sucre (Bolívia), o O’Higgins (Chile), o Desportivo Anzoátegui (Venezuela) e o Sport Boys Warnes (Bolívia). Nenhum deles, até hoje, foi campeão. A partir de 2000, a competição passou a contar com times mexicanos, de modo que é possível adicionar também na lista o Monarcas Morelia, da cidade de Morelos, batizada em homenagem ao revolucionário José Maria Morelos, que participou da guerra pela independência.