Curiosidades sobre 10 personalidades da ciência

1. Albert Einstein
Albert Einstein era um criança tímida e reservada. Até os 7 anos, ensaiava baixinho qualquer frase que diria em voz alta. Sua paixão pela ciência surgiu quando ganhou uma bússola do pai, aos 6 anos. Ele relatou em um de seus escritos que, ao ver a agulha magnética apontar sempre para a mesma direção, teve certeza de que a natureza guardava milagres a serem desvendados. Depois de sua morte, em 1955, seu cérebro foi estudado por cientistas. Não era maior do que o cérebro humano médio, mas duas estruturas - o giro angular esquerdo e o giro supermarginal - eram particularmente maiores. Essas áreas estão relacionadas à abilidade matemática, cognição visual e criatividade. O cérebro de Einstein também tinha uma alta concentração de células gliais, que protegem os neurônios. O cientista cobrava 1 dólar para dar autógrafos, dinheiro que doava para a caridade.

2. Alexander Fleming
O primeiro antibiótico moderno, a penicilina, foi uma descoberta casual do bacteriologista escocês Alexander Fleming, em 1928. Fleming havia sido um oficial médico nos hospitais militares da Inglaterra durante a Primeira Guerra Mundial. Notando a séria necessidade de um agente bactericida para tratar dos ferimentos infeccionados, após a guerra retornou ao St. Mary’s Hospital, em Londres, para pesquisar sobre o problema. Em 1928, enquanto estudava o Staphylococcus aureus, uma bactéria responsável pelos abscessos e várias outras infecções, Fleming entrou de férias por alguns dias, deixando seus recipientes de vidro com cultura sem supervisão. Ao retornar, notou que a tampa de um dos recipientes havia escorregado e que a cultura havia sido contaminada com o mofo da atmosfera. Fleming estava a ponto de jogar fora a cultura quando a curiosidade o fez examiná-la. Na área onde o bolor estava crescendo, as células do Staphylococcus haviam morrido. Ele imediatamente percebeu o significado dessa descoberta e verificou que o bolor, uma espécie do fungo Penicillium, estava secretando uma substância que destruía as bactérias.

3. Bill Gates
Gates começou a estudar economia na Universidade de Harvard em setembro de 1973. Lá, conheceu Steve Ballmer, que viria a ser seu sócio na Microsoft. Ele abandonou o curso em janeiro de 1977, após fundar a Microsoft, em 26 de novembro do ano anterior. A primeira versão do Microsoft Windows foi lançada em 10 de novembro de 1985. O nome foi inspirado no sucesso do sistema de janelas desenvolvido pela Xerox e lançado no mercado pela concorrente Apple — "windows", em inglês, significa "janelas". O Microsoft Office, principal pacote de programas da empresa, foi lançado em 1º de agosto de 1989. Bill Gates se tornou o homem mais rico do mundo, oficialmente, em 17 de julho de 1995. Na época, sua fortuna era estimada em 12 bilhões de dólares. Apenas naquele ano, a Microsoft faturou 6 bilhões. Gates só deixou o posto 13 anos depois, em março de 2008, quando os empresários Warren Buffet e Carlos Slim o ultrapassaram. Na época, Gates tinha 58 bilhões de dólares.

4. Charles Darwin

Charles Darwin tinha apenas 22 anos quando fez a viagem que mudou sua vida. Grande parte de sua Teoria da Evolução foi desenvolvida depois que Darwin fez uma viagem a bordo do navio Beagle, numa expedição para cartografar o litoral da América do Sul. Durante a viagem, Darwin colecionou 3.907 espécimes de 1.529 espécies diferentes em frascos de álcool e escreveu 770 páginas em seu diário. Em 1851, Charles Darwin começou a escrever A Origem das Espécies depois que sua filha mais velha, Annie, morreu aos 10 anos. Estudiosos acreditam que a morte da menina, vítima de escarlatina, abalou a fé de Darwin no cristianismo. A primeira tiragem de A Origem das Espécies foi publicada no dia 22 de novembro de 1859. Todos os 1.250 exemplares se esgotaram. Charles Darwin morreu no dia 19 de abril de 1882. Seu corpo foi enterrado ao lado de outro importante cientista: Isaac Newton. Criado em uma família religiosa, Charles Darwin declarou-se agnóstico no fim da vida.

5. Galileu Galilei
Galileu, físico italiano, foi o primeiro a utilizar o telescópio astronômico, em 1609. Com ele, descobriu quatro dos satélites de Júpiter, e viu as crateras da Lua. Essas descobertas alarmaram a Igreja. Para os padres, "as pretensas luas de Júpiter não eram visíveis a olho nu; portanto, não tinham a menor importância para a vida humana; logo, não existiam". Ele convidou os padres a usar o telescópio, mas todos se recusaram. Galileu sustentava que o Sol era o centro do sistema planetário, e não a Terra, teoria desenvolvida mais de meio século antes por Copérnico. Foi condenado pela Igreja por não cumprir a promessa de deixar de ensinar o heliocentrismo. Somente em 1984 o papa João Paulo II reconheceu que Galileu Galilei estava certo.

6. Isaac Newton
O físico é lembrado sempre pela descoberta da Lei da Gravidade. Em 1666, quando o jovem cientista Isaac Newton tirava um cochilo embaixo de uma macieira, um dos frutos se soltou do galho e caiu em sua cabeça. Ele se pôs a estudar esse fato aparentemente tão simples e descobriu a gravidade. A maçã havia caído por causa da força que atrai todos os corpos em direção ao centro da Terra. Ele usou essa teoria para explicar como a Lua é mantida em órbita ao redor da Terra. Mostrou também que os corpos celestes são quase esféricos devido à gravidade, que se distribui em todas as direções.

7. Louis Pasteur
O famoso bacteriologista e químico francês, que dá nome ao processo que hoje conhecemos por pasteurização, descobriu uma fórmula prática de manipular ácidos quando tinha apenas 8 anos de idade. Aos 40, inventou o processo de liquidar as bactérias do leite.

8. Sigmund Freud
Entre 1884 e 1887, Freud desenvolveu uma pesquisa sobre as propriedades da cocaína. Para tal, consumia ele mesmo pequenas doses da droga e depois anotava seus efeitos sobre a fome, o sono e o cansaço. Mais tarde, quando foi publicado em algumas revistas médicas que o uso prolongado do entorpecente poderia causar delírio, acabou sendo acusado de propagar uma nova doença. Chegou a receitar uma quantidade significativa do produto a um paciente, que acabou morrendo por overdose. Freud concebeu o termo "psicanálise" em 1896, após passar 5 anos elaborando muitos dos conceitos que hoje são a base de suas teorias. Seu livro "A Interpretação dos Sonhos", apesar de ter sido publicado em 1899, saiu com data de impressão de 1900, porque Freud queria que ele fosse associado ao início de um novo século.

9. Stephen Hawking
Hoje considerada uma personalidade da ciência moderna, Stephen Hawking era um péssimo aluno em sua época de colégio. Quando ele tinha 9 anos, suas notas eram as piores de toda a turma. Apesar disso, seus professores sabiam que estavam diante de um futuro gênio. O garoto sempre se interessou pelo funcionamento das coisas, e passava horas montando e desmontando relógios e rádios. Seu apelido era "pequeno Einstein". Hawking sempre quis estudar matemática, mas seu pai pressionava-o para prestar Medicina. Como o rapaz odiava biologia, os dois chegaram num acordo: ele iria se formar físico.

10. Steve Jobs
Junto com Steve Wozniak e Ronald Wayne, Jobs fundou a empresa de tecnologia Apple em 1º de abril de 1976. Eles conseguiram uma encomenda de 25 computadores. Na época, precisaram vender seus objetos de maior valor — uma kombi e uma calculadora científica — e montar os computadores dentro de uma garagem. Steve Jobs nunca terminou um curso universitário. Ele abandonou a universidade no segundo ano e viveu em uma comunidade hippie.