Região Sul

1. Pães, ovos, linguiça, manteiga e carne defumada fazem parte do pequeno banquete servido no café da manhã do domingo de Páscoa da colônia ucraniana, principalmente no Paraná, onde são cerca de 500 mil imigrantes e descendentes. A paska é o pão feito em casa e que deve ser bento na primeira missa do domingo antes de ser consumido pela família. As pêssankas são ovos decorados a mão. Os traços nos ovos significam bons desejos para o presenteado. O desenho do galo significa riqueza e boa saúde; o peixe, fé e cristianismo; a flor, o amor; o trigo e galhos, boa colheita; o sol e estrelas, vida longa; a cruz, vida eterna; e árvores, juventude eterna. Também no Paraná, no Sábado de Aleluia, a colônia polonesa faz a benção dos alimentos que serão servidos no café-da-manhã do domingo. A festa chama-se swieconka e é tradição dos imigrantes poloneses, que chegaram à região por volta de 1871. Atualmente, o Paraná é o Estado com maior número de imigrantes poloneses – são 260 mil só em Curitiba. Os alimentos são postos em cestas e colocados em círculos enquanto o padre dá a benção. Existe também atradição de presentear com bolos e biscoitos em formato de carneiros. 

2. A cidade de Ivoti, no Rio Grande do Sul, com apenas 22 mil habitantes, tem forte influência alemã – principalmente em época de Páscoa. Os cães e gatos que vivem por ali são pintados de azul ou cor-de-rosa para anunciar às crianças que a época mais doce do ano está se aproximando. Também por causa da forte influência alemã, a cidade fica cheia de ninhos com ovos de chocolate – a deusa germânica da fertilidade, Ostara, tinha como símbolo a lebre.

3. Gramado (RS), conhecida pela excelência na fabricação de chocolates, realiza anualmente a “Chocofest”. A cidade, a 125 km de Porto Alegre, fica toda decorada e com uma programação recheada de desfiles, apresentações de teatro, exposições de arte e venda de chocolate. Em 2014, o gramadense Ênio Fritsch entrou para o Guiness Book (o livro dos recordes). Ele foi responsável por esculpir o maior coelho de chocolate do mundo. O coelhão tinha 2,10 m de largura; 1,70 m de comprimento; 4,10 m de altura e 3.850 quilos de chocolate. A gigantesca peça foi doada para um programa social voltado para pessoas carentes. A vizinha Canela também se enfeita para receber turistas, espalhando lindos bonecos em forma de coelhos da entrada da cidade até a Catedral de Pedra.

4. No pequeno município de Pejuçara no interior do Rio Grande do Sul, os 4 mil habitantes têm orgulho de confeccionar tapetes de fuxicos para a celebração, que serão estendidos dentro das Igrejas e nas ruas do Centro da cidade, colonizada por imigrantes italianos.

5. A Páscoa em Pomerode (SC), a “cidade mais alemã do Brasil”, tem até um nome germânico. A festividade se chama Osterfest e dura um mês. Uma serenata - a Osterstüppen - é organizada na madrugada do sábado para o domingo de Páscoa. Bem cedo, ainda em jejum, as famílias vão até uma fonte e pegam água (osterwasser), que será guardada e consumida apenas no ano seguinte para trazer “beleza e saúde” para todos. Outro costume tipicamente alemão é enfeitar árvores (Osterbaum) com ovos decorados artesanalmente.