10 polêmicas envolvendo "Os Simpsons"

1. Simpsons e os Muçulmanos
O episódio "MyPods e Boomsticks",da 20ª temporada de "Os Simpsons", causou polêmica entre a comunidade muçulmana da Grã-Bretanha. Na trama, Homer Simpson chama seus vizinhos muçulmanos de "terroristas", depois de descobrir um suposto plano para explodir um centro comercial de Springfield. A confusão é esclarecida quando Homer descobre que os vizinhos trabalhavam em uma empresa de demolição. 

2.Simpsons e a Argentina
Os habitantes de Springfield também arranjaram briga com os argentinos. No episódio 10 da 19ª temporada, os personagens sentem-se tão desiludidos com a política norte-americana que chegam à conclusão de que "o melhor seria abolir a democracia para sempre". Segundo eles, a forma de governo ideal seria "uma ditadura militar como a de Juan Perón", uma vez que "quando ele desaparecia com você, você realmente ficava desaparecido". Outro ponto positivo para o ditador argentino era que "sua esposa era a Madonna", em referência ao filme "Evita", no qual Madonna interpreta Eva Perón. O episódio não foi exibido na Argentina. A justificativa foi que o assunto dos desaparecidos da ditadura "não poderia fazer parte de uma piada". 

3. Simpsons e George Bush

Em 1992, o então presidente norte-americano George Bush, o "Bush pai", declarou que o desenho representava a decadência moral dos norte-americanos. Quatro anos depois, ele surgiu como vizinho de Homer Simpson em Springfield. A relação conturbada entre os dois termina em uma briga e Homer acaba acertando um soco no ex-presidente.

4. Simpsons e o casamento gay
Na cidade de Springfield, o casamento entre pessoas do mesmo sexo é legalizado desde o episódio número 10 da 16ª temporada. O episódio foi ao ar pela primeira vez no dia 20 de fevereiro de 2005 e causou polêmica entre as audiências mais conservadoras. O produtor executivo da série, Al Jean, declarou que o desenho não defende o casamento gay e que os personagens possuem diferentes pontos de vista sobre a questão.

5. Simpsons e os acidentes nucleares
A personagem Homer Simpson trabalha no Instituto Nuclear de Springfield. Frequentemente, ele e os companheiros são mostrados na série desrespeitando normas básicas de segurança. Após o acidente nuclear na usina de Fukushima, Japão, em 2011, vários países do mundo deixaram de exibir esses episódios por considerarem que eles podem facilitar a ocorrência de novos desastres como o de Fukushima.

Livro reúne os melhores diálogos, episódios e curiosidades de "Os Simpsons".

6. Simpsons e o Brasil 
A polêmica da família Simpson também chegou ao Brasil. Em 2002, o episódio "O Feitiço de Lisa" retratou a cidade do Rio de Janeiro de maneira nada agradável - nas ruas cheias de cobras, ratos e macacos, Homer é sequestrado por um taxista, assiste a uma apresentadora de TV seminua e os brasileiros são retratados falando inglês com sotaque em espanhol. Além disso, a região Amazônica é mostrada como se fosse vizinha do Rio de Janeiro.

7. Simpsons e o Equador
O desenho de Matt Groening foi censurado no Equador em 2009. O governo local alegou que a atração "envia mensagens que provocam a violência e a discriminação racial e sexual". A restrição é quanto ao horário em que o desenho é apresentado: a partir de agora, não pode ir ao ar entre 6 e 9 da manhã.

8. Simpsons e a Playboy
Na edição de novembro de 2009 da revista, a matriarca da família Simpson, Marge, foi capa. Em três páginas de "fotos", Marge não aparece nua em nenhuma delas. A foto mais picante é uma em que ela está vestida apenas com um baby-doll transparente. O desenho da capa faz homenagem à modelo Darine Stern, a primeira negra a posar na capa da revista, em outubro de 1971.

9. Simpsons e o Vaticano
Em dezembro de 2009, o jornal italiano "L’Osservatore Romano", órgão oficial do Vaticano, elogiou o desenho de Matt Groening. Sob o título "As Virtudes de Aristóteles e o Donut de Homer", o texto dizia que "Os Simpsons" abriu espaço na televisão para desenhos voltados ao público adulto.

10. Simpsons e a Fox

Produzido pela Fox norte-americana, o seriado já comprou briga com a Fox News, um dos principais canais do grupo Fox. Em um episódio de 2010, um helicóptero da emissora voava por Springfield trazendo a frase "Não somos racistas, mas somos o número 1 entre os racistas".