A origem do Matte Leão

Os índios guaranis foram os primeiros a usar folhas e talos da planta flex paraguariensis, ou erva-mate, nativa do sul do Brasil. Depois do século XVII, a planta começou a ser comercializada em escala industrial. Em 8 de maio de 1901, no Paraná, Agostinho Ermelino de Leão Junior fundou a Fábrica Santo Agostinho, indústria de erva-mate. Quando Leão Junior faleceu, sua mulher, Maria Clara, assumiu os negócios. Um incêndio destruiu a fábrica em 1912 e a empresa mudou-se para Curitiba. As exportações chegam a 5 mil toneladas por ano no começo da década de 1920. Um outro incêndio, em 1930, queimou a nova fábrica, que tinha geração própria de energia elétrica, terminal ferroviário exclusivo e uma vila de casas para operários. No final da década de 1930, a agora denominada Leão Junior e Cia. colocou no mercado brasileiro o mate tostado, ainda hoje o carro-chefe da empresa.

Livro mostra pérolas impublicáveis da publicidade.