10 curiosidades sobre Popó

1. Acelino Freitas, além de ser conhecido por Popó, também é chamado pelo apelido "Mão-de-Pedra". Ele nasceu em salvador, na Bahia em 1975.

2. Popó começou a lutar com 14 anos, e logo aos 19 consagrou-se vice-campeão pan-americano. Em 2002, unificou os títulos da Organização Mundial de Boxe (o qual já detinha desde 1999) e da respeitada Associação Mundial de Boxe na categoria superpenas (até 59 quilos) em uma luta contra o cubano Joel Casamayor. Popó venceu a disputa por pontos (114 a 112) em 12 assaltos. Os únicos brasileiros que conseguiram alcançar esta posição foram Éder Jofre e Miguel de Oliveira.

3. O lutador baiano possui diversas tatuagens de buldogues, leões e cobras com luvas de boxe pelos braços. Mesmo assim, é chorão e vaidoso confesso. Costuma fazer a sobrancelha, depilar os cílios e cuidar das unhas dos pés e das mãos.

4. Popó teve uma infância muita difícil. Seu pai, Niljalma Jones, era anotador de jogo do bicho e alcoólatra. Portanto, ficou sob a responsabilidade de sua mãe, Zuleica Freitas, sustentar a casa e os seis filhos trabalhando como doméstica. O rapaz conta que até os 23 anos de idade dormia no chão, no mesmo quarto que os irmãos.

5. Certa vez, o pugilista mediu o peso de seu soco em um brinquedo. Chegou a alcançar 120 quilos.

6. Acelino é baixinho. Mede apenas 1,68 metro de altura e tem 58 quilos.

7. Popó se casou em julho de 2001 com a administradora Eliana Guimarães. O moça é herdeira de uma das maiores construtoras da Bahia.

8. Em 15 de agosto de 2004, o boxeador foi internado em Salvador (BA) com fortes dores na cabeça e no estômago. Uma semana antes, ele havia enfrentado o norte-americano Diego "Chico" Corrales, que o levou à lona 3 vezes durante a luta. Corrales morreu em maio de 2007 em um acidente de moto.

9. Em 4 de outubro de 2006, o pugilista anunciou sua aposentadoria. Em 29 de abril, ele havia enfrentado o norte-americano Zahir Raheem e reconquistado o cinturão da Organização Mundial de Boxe. Poucos dias depois do anúncio, porém, o lutador decidiu aceitar um último desafio. Foi contra Joel Casamayor, o único boxeador que o derrotou em sua carreira profissional. Popó perdeu a disputa novamente, mas recuperou o cinturão da Organização Mundial de Boxe meses depois. O atleta se aposentou com 38 vitórias, sendo 32 por nocaute, e apenas uma derrota. 

10. Em 2007, Popó desistiu da aposentadoria e decidiu lutar mais uma vez. Isso o fez perder novamente o título da Organização Mundial de Boxe, dessa vez para o norte-americano Juan Diaz, em 28 de abril de 2007. Com a vitória, Juan Diaz unificou os dois títulos mundiais. Não satisfeito, cinco anos depois, Popó voltou aos ringues mais uma vez, depois de ter sido chamado de "velho" por Michael Oliveira, que tinha 22 anos. O veterano, mesmo 15 anos mais velho, acima do peso e enferrujado, nocauteou o rival.