Malucos olímpicos

  1. Em 1896, na 1ª Olimpíada da era moderna, o príncipe grego Constantino invadiu a pista de corrida e percorreu os metros finais da maratona ao lado do corredor Spyridon Louis, seu compatriota e vencedor da prova.
     
  2. O estudante Michel LeDuc correu nu pelo gramado do estádio durante a cerimônia de encerramento da Olimpíada de Montreal (1976). Ele dançou e fez graça para a platéia até ser detido pelos policiais presentes no local.
     
  3. Outro pelado driblou a segurança e interrompeu a partida de futebol feminino disputada entre Brasil e Austrália nos Jogos de Sydney, em 2000. O maluco foi recolhido pela polícia, e as brasileiras ganharam o jogo por 2 a 1.
     
  4. Também em 2000, um torcedor invadiu o campo de beisebol onde o Japão enfrentava os EUA e correu para uma das bases sob o aplauso da platéia. Sorte que o jogo já havia sido interrompido por causa de uma forte chuva. O ?invasor? foi retirado pela organização do evento.
     
  5. Nos Jogos Olímpicos de Atenas (2004), um espectador canadense furou a segurança e invadiu a piscina onde ocorria a disputa de saltos ornamentais. Ele pulou do trampolim de 3 metros vestido com uma saia de balé e com um anúncio de um site de cassino pintado no peito. Acabou sendo condenado a três meses de prisão, mas foi liberado sob condicional. O invasor já havia interrompido uma apresentação de patinação artística do Campeonato Mundial, disputado em março de 2004 em Dortmund (Alemanha).
     
  6. O corredor brasileiro Vanderlei Cordeiro de Lima liderava com folga a maratona das Olimpíadas de 2004 quando um irlandês vestido com roupas típicas invadiu a pista e o arrastou para fora do percurso. Socorrido pelo espectador grego Polyvios Kossivas, o atleta conseguiu se libertar e continuar a corrida. Mesmo assim, Vanderlei perdeu o ritmo e acabou a prova em terceiro. O agressor, o ex-padre Cornelius Horan, já havia feito algo similar no final do Grande Prêmio da Inglaterra de F-1 de 2003. Em ambas as ocasiões ele queria divulgar uma mensagem religiosa. Foi preso, mas pagou uma fiança de 3 mil euros e acabou sendo liberado.