10 curiosidades sobre a história das eleições no Brasil

1. A primeira votação no Brasil aconteceu no dia 23 de janeiro de 1532, quando foi aberto um processo eleitoral para a escolha dos membros do Conselho Municipal das vilas de São Vicente e Piratininga. A votação foi feita de maneira indireta: quem escolheu os oficiais do conselho foram 6 representantes eleitos pelo povo.

2. Durante a República Café-com-leite, em que presidentes mineiros e paulistas se revezavam no poder, 4 candidatos não tiveram que concorrer com ninguém: Prudente de Moraes, Washington Luís, Afonso Pena e, por duas vezes, Rodrigues Alves.

3. No Brasil imperial, o voto era restrito aos cidadãos com alto poder aquisitivo. Por isso, o voto ficou conhecido como "voto censitário".

4. Até 1932, as mulheres brasileiras não tinham direito a voto. A conquista veio na Era Vargas, mas só foi exercida em 1945, quando o país voltou a ter eleições diretas.

5. Lula não foi o primeiro operário a concorrer à Presidência do país. Em 1930, Minervino de Oliveira, empregado de uma fábrica de tecidos, disputou o cargo pelo Bloco Operário Camponês, uma ala do Partido Comunista. Ele já tinha sido eleito vereador pelo Rio de Janeiro em 1928.

6. O ex-governador gaúcho Leonel Brizola voltou ao Brasil em 6 de setembro de 1979, depois de 5.594 dias de exílio, o mais longo sofrido por um político brasileiro. Na infância, Brizola trabalhou como engraxate, lavador de pratos, jornaleiro, carregador de malas em hotel e ascensorista.

7. Durante a campanha indireta de 1982, Paulo Maluf, o candidato do governo, usou um avião batizado de Esperança, mesmo nome do que carregava o presidenciável Carlos Lacerda na sua frustrada campanha de 1965. Maluf venceu as eleições.

8. Pedro Collor fez as primeiras denúncias que acabaram resultando no impeachment de seu irmão, o presidente Fernando Collor, em 1992. Pedro concorreu a uma cadeira de deputado estadual. Saiu das urnas com 5.373 votos e perdeu a eleição.

9. As eleições de 2002 se caracterizaram por apresentar diversos candidatos filhos de outros candidatos, como Levy Fidelix Filho, rebento do candidato ao governo de São Paulo Levy Fidelix, e José Carlos Eymael, cujo pai é José Maria Eymael.

10. Minas Gerais foi o estado que mais elegeu presidentes: foram 8, sem contar o topetudo Itamar Franco, que nasceu em um navio no litoral da Bahia. É também o campeão na eleição de vices: 9 mineiros ocuparam o cargo.