10 roupas e acessórios do Papa

1. Traje comum
É a roupa que ele usa no dia-a-dia. É uma espécie de bata, toda branca. Com esse traje, ele calça sempre um sapato vermelho, que simboliza o sangue de todos que morreram por Cristo. Veste também uma faixa branca com o brasão papal e um cordão amarrado na cintura, como os que eram usados pelos algozes de Cristo.

2. Traje ordinário
Esse traje é usado em cerimônias oficiais, encontros políticos e outras atividades ordinárias. A bata usada nesse traje também é branca, mas possui 33 botões, que simbolizam a idade com que Jesus foi crucificado. Quando está com esta roupa, o Papa usa uma estola cor de vinho bordada em dourado, que simboliza o poder supremo do sacerdote; um manto vermelho nos ombros, que é chamado de mozeta, e simboliza a autoridade espiritual; e um cordão de lã pendurado no pescoço, que representa o cordeiro que o pastor carrega nos ombros. O cordão chama-se pálio, e representa a união do Papa com toda a Igreja.

3. Traje solene
Essa é a roupa menos usada pelo Papa. Ela só é tirada do guarda-roupa para eventos importantíssimos, como missas solenes e beatificações. A bata branca fica escondida embaixo da casula, que é um manto longo e dourado com uma grande cruz bordada nas costas. Ele usa também três acessórios: uma estola branca com símbolos litúrgicos; um cajado, chamado de báculo, que simboliza o cajado de um pastor que guia seus fiéis; e um chapéu conhecido como mitra. Esse chapéu é o símbolo máximo do poder papal. O mitra aponta para Deus: ele é pontudo e bordado com fios de ouro.

4. Anel de São Pedro
Todos os Papas eleitos devem usar um anel que representa a sua fidelidade à Igreja Católica e seu poder de pontíficie. Depois da morte ou renúncia do Papa, esse anel é destruído. O Papa seguinte ganha um anel novinho em folha.

5. Solidéu
O solidéu é um chapéu semelhante ao quipá judaico, usado pelo Papa, bispos e cardeais. Inicialmente, tinha uma utilidade prática: proteger a cabeça dos religiosos do frio. Depois, passou a indicar hierarquia: o solidéu dos cardeais é vermelho, o dos bispos é roxo e o do Papa é branco. O nome deriva do latim "soli Deo", que significa "somente para Deus". Bento XVI causou polêmica durante seu mandato por usar solidéus de pele de animais no inverno.

6. Sapatos vermelhos
Historicamente, a cor vermelha dos sapatos do Papa representa o sangue de Jesus Cristo: usá-la no corpo significa estar disposto ao sacrifício. Desde a Antiguidade, essa cor é restrita à nobreza da Igreja. O Papa João Paulo II ignorou a tradição durante o seu mandato, numa tentativa de amenizar a hierarquia entre os membros da Igreja. Ele usava sapatos marrons, como os dos bispos e cardeais. Bento XVI, no entanto, retomou o uso dos sapatos vermelhos, que são conhecidos como múleos.

7. Casula
É a túnica usada durante as celebrações. Cada cor tem um significado. A casula vermelha é usada na Sexta-feira Santa, na Festa do Mártires e em missas de São Pedro e São Paulo. A roxa é usada durante a Quaresma e o Tempo de Advento (preparação dos religiosos para o Natal). A dourada é usada no Natal e na Páscoa. E a verde, o Papa usa em dias comuns, quando a Igreja não está em festa. 

8. Mozeta
A mozeta é um manto vermelho que o Papa usa durante encontros políticos, como reuniões com embaixadores e chefes de Estado.

9. Traje de missa
Durante as missas - e somente durante elas -, o Papa segura uma férula (objeto semelhante a um cajado), usa uma mitra na cabeça, que representa sua santidade perante Deus, e coloca um pálio sobre os ombros, peça que simboliza a ovelha que os pastores costumavam carregar.

10. Traje pós-renúncia
Quando um papa renuncia, ele passa a ser chamado de papa emérito. A partir de então, não pode mais usar as vestimentas oficiais do Papa. Ele passa a vestir um traje branco branco simples, com sapatos marrons. Os sapatos vermelhos, a faixa e o mantelete são retirados de seu guarda-roupa. O solidéu muda de cor: passa de branco para roxo, a cor usada pelos bispos. O papa emérito deve continuar a carregar o crucifixo no peito.