10 tradições do casamento

1. Carregar a noiva no colo
Algumas tradições acreditam em "mau agouro" se a noiva cair à entrada da casa. Outras falam em azar se ela entrar com o pé esquerdo. Se o noivo levá-la no colo, evita esses dissabores. Uma explicação alternativa para o fato é que os anglo-saxões costumavam roubar a noiva e carregá-la nas costas. É desse povo o costume de a noiva ficar do lado esquerdo do noivo. Como ele tinha medo do ataque de "dragões" e inimigos, deveria ter o braço livre para sacar a espada e proteger a moça.

2. Buquê
Na Grécia e na Roma antigas, o alvo preferido das solteiras não tinha apenas flores, mas também ervas e temperos. Alguns buquês eram feitos de alho para espantar os maus espíritos. As flores tinham significados próprios: a hera representava fidelidade; o lírio, a pureza; as rosas vermelhas, o amor; violetas, a modéstia; não-te-esqueças-de-mim, o amor verdadeiro. Flores de laranja trariam fertilidade e alegria ao casal.

3. Aliança
O costume de usar aliança para honrar um contrato de casamento surgiu em Roma. Para os egípcios, representava a eternidade. Os gregos a faziam de ferro imantado, pois acreditavam que assim poderiam atrair o coração humano. Como tradição cristã, teria surgido no século XI, quando o anel era colocado no terceiro dedo da mão esquerda, pois acreditava-se que havia comunicação direta desse dedo com o coração por meio de uma veia. Representa fidelidade e a unidade perfeita, sem começo e sem fim.

4. Vestido de noiva
O primeiro vestido branco foi adotado pela Rainha Vitória, no século 19, quando se casou com seu primo, o príncipe Albert. O pedido de casamento foi feito pela apaixonada noiva, já que homem algum poderia se atrever a fazer tal proposta a uma rainha. Na antiga China e na Idade Média, as noivas cobriam-se de vermelho, pois era a cor do amor.

5. Véu
Os gregos acreditavam que a noiva, ao cobrir o rosto, estava protegida do mau olhado das mulheres e da cobiça dos homens. O véu também tinha um significado especial para a mulher: separava a vida de solteira da de casada e futura mãe.

6. Grinalda
Distingue a noiva do resto dos convidados. É ainda símbolo de status e riqueza. Quanto mais luxuosa, mais poderosa é sua dona.

7. Bolo
Os romanos faziam bolos com farinha, sal e água. Eles costumavam partir uma fatia na cabeça da noiva para garantir sua fertilidade. Por volta do ano 1500, na Alemanha, os mestres confeiteiros começaram a fazer receitas de mais de 2 metros de altura cobertas com açúcar. As peças se tornaram em pouco tempo o centro das atenções nos banquetes. A França aprimorou a técnica, inventando bolos que imitavam templos, palácios e animais. Reparti-lo também representa o partilhar de uma vida comum.

8. Chuva de arroz
Há 4 mil anos, na China, o arroz era tido como símbolo de fartura e já era costume jogar alguns grãos sobre os noivos após a cerimônia. Conta-se que um poderoso mandarim quis mostrar sua riqueza e realizou o casamento de sua filha sob uma verdadeira "chuva" de arroz.

9. Chá de cozinha
Segundo uma lenda holandesa, um moleiro pobre era apaixonado por uma rica donzela. Para ajudá-lo, seus amigos se reuniram e ofereceram a eles itens para a nova casa. Assim nasceu o famoso chá de cozinha.

10. Lua-de-mel
Na antiga Roma, o povo espalhava gotas de mel na soleira da casa dos recém-casados. Entre os povos germanos, era costume casar na lua nova, e os noivos levavam uma mistura de água e mel para beber ao luar. Na Grécia Antiga, a mãe da noiva tinha o costume de levar mel para os recém-casados todas as manhãs, durante o primeiro mês de núpcias.