10 curiosidades sobre o Dia das Mães

1. Prestar uma homenagem às mães é uma tradição bastante antiga. Na Grécia, havia uma festa em honra a Reia, mãe dos deuses.

2. Já os romanos faziam uma grande festa no início de março chamada "Matronalia". Na Idade Média, os ingleses celebravam o "Mothering Day". As pessoas mais pobres moravam na casa de seus patrões e ficavam longe de suas casas. Por isso, nesse dia, elas tinham o direito de ir até os seus lares e ficar junto de suas mães.

3. Mas a data como conhecemos hoje é uma criação moderna. Uma jovem professora americana, Anna M. Jarvis (1864-1948), perdeu sua mãe em 1905 e entrou em profunda depressão. Preocupadas com tanto sofrimento, algumas amigas tiveram a ideia de perpetuar a memória da mãe de Anna com uma festa. Mas Anna queria que a homenagem fosse estendida a todas as mães, vivas ou mortas. Passou a escrever longas cartas a políticos, empresários, comerciantes e religiosos sugerindo a criação de um dia em homenagem às mães.

4. Em 1908, algumas igrejas de sua cidade, Grafton (Virgínia), e da Filadélfia, onde ela também já tinha morado, escolheram o dia 10 de maio - um dia depois da data de aniversário da morte da senhora Jarvis - para lembrar as mães. Em 1910, a Virgínia foi o primeiro Estado a festejar oficialmente o Dia das Mães. No ano seguinte, quase todos os Estados americanos seguiram a ideia.

5. Finalmente, em 1914, a data foi oficializada pelo presidente Woodrow Wilson, ficando para o segundo domingo de maio.

6. Anna criou também um símbolo em homenagem às mães: o cravo. O vermelho seria para presentear a mãe viva e o branco, a morta. Ela chegou a ser presa por perturbação da ordem, ao invadir uma convenção da Associação das Mães de Veteranos de Guerra, acusando-a de vender cravo com fins lucrativos. Ao sair da cadeia, Anna declarou que estava arrependida de ter criado o Dia das Mães.

7. No Brasil, a data foi oficializada em 1932, pelo então presidente Getúlio Vargas. Antes disso, desde 1918, o Dia das Mães já era comemorado pela Associação Cristã de Moços. Aqui, assim como nos Estados Unidos, na Itália e no Japão, a data não é fixa: comemora-se no segundo domingo de maio. No México, as mães são homenageadas sempre no dia 10 de maio. Na Tailândia, a festa acontece em 12 de agosto, em homenagem à rainha Mom Rajawongse Sirikit.

8. Você gosta mais da sua mãe ou do seu pai? Para muitos, essa pergunta parece impossível de ser respondida. Analisando-se o ranking de gastos dos brasileiros com presentes, uma coisa, no entanto, é certa: o brasileiro investe mais para agradar à mamãe do que ao papai. O Dia das Mães é a segunda data comemorativa que mais rende lucros ao varejo no país. Só perde para o Natal. O Dia dos Pais assume uma discreta quinta posição, atrás do Dia das Crianças e da Páscoa.

9. Segundo dados coletados pelo IBGE em 2010, existem cerca de 47 milhões de mães no Brasil. Isso quer dizer que 48% de todas as mulheres do País já tiveram filhos. O Estado brasileiro mais maternal é o Mato Grosso do Sul, onde 65% da população feminina é mãe. A cidade de Douradina, menor município do Mato Grosso do Sul, é campeã brasileira de maternidade! Lá, cada mãe tem, em média, quatro filhos.

10. A brasiliense Madalena Carnaúba é a brasileira com o maior número de filhos biológicos registrados. Nascida no dia 22 de julho de 1920, Madalena teve 32 filhos durante seus 90 anos de vida. Ela faleceu em janeiro de 2011. Apesar de ter sido uma das mulheres mais férteis do mundo, Madalena não chegou nem perto da recordista mundial no quesito maternidade. A chilena Leontina Albino teve, de 1943 a 1981, 64 filhos (55 deles, devidamente registrados).