Batizando as partes do corpo humano

O Comitê Federativo de Terminologia Anatômica é formado por 21 anatomistas que estudam mudanças nos nomes das partes do corpo humano. Eles foram eleitos por colegas de mais de 30 países para elaborar uma nova terminologia anatômica.

Desde 1895, quando foi aprovada a primeira nomenclatura oficial, os anatomistas buscam um consenso. A lista original já foi revisada, ampliada e modificada 4 vezes.

O corpo humano precisa de cerca de 6 mil nomes para que todas as suas partes macroscópicas sejam descritas.

A lista de novos nomes também quer acabar com os epônimos, termos que levam o nome do cientista que primeiro descreveu o órgão. Muitos epônimos só sobrevivem em função de patriotadas teimosas, como o ligamento inguinal, na virilha. Ele é chamado de ligamento de Falópio pelos italianos conterrâneos de Falópio e de ligamento de Poupart pelos franceses.

nome velho

nome novo

dedão do pé

dedo grande do pé ou halux


dedo mindinho


dedo mínimo ou 5º dedo


maçã do rosto


zigoma


maxilar inferior


mandíbula


pelos das axilas


hircos


pelos do nariz


vibrissas


pelos das orelhas


trageos


pomo-de-adão


proeminência laríngea


rótula


patela


tendão de Aquiles


tendão calcâneo


trompa de Eustáquio


tuba auditiva