Belchior, Baltasar e Gaspar, os Três Reis Magos, atravessaram o deserto seguindo uma estrela que os guiava em direção ao menino Jesus. Levavam consigo presentes para a criança que acabara de nascer: ouro, incenso e mirra. Mas, segundo uma lenda italiana, haveria uma quarta pessoa fundamental nessa história. Uma camponesa chamada Befana deu abrigo aos Reis Magos durante o percurso. Ao acordar, os três a convidaram para acompanhá-los, mas ela recusou o convite. Arrependida logo em seguida, Befana começou a procurar o trio, mas não o encontrou. Na esperança de encontrar o menino, Befana passou a distribuir para as crianças que encontrou pelo caminho os doces que havia feito para ele.
O Dia de Befana é comemorado em 6 de janeiro, mesmo Dia da Epifania do Senhor ou Dia de Reis. Na Itália, as crianças colocam meias penduradas na lareira. As comportadas esperam a descida da velhinha pela chaminé e receberão doces dentro das meias. Já as crianças que não foram boazinhas encontrarão apenas carvão nas meias.
Befana-Final-150
A tradição é forte na Itália, principalmente na região da Toscana, onde se acredita que nasceu a lenda. “Todo dia 6, ao meio-dia, ficávamos ansiosos, esperando pelos doces”, relembra Lucia Miserochi, 70 anos, descendente de italianos. “Minha nona começava a bater as panelas na cozinha, imitando o som da Befana descendo a lareira. Era sempre uma delícia”. A avó de Lucia, Carolina Miserochi, chegou de Florença, região da Toscana, em 1914 e se estabeleceu na Freguesia do Ó, Zona Norte de São Paulo. Ela ajudou a manter a tradição entre os descendentes italianos do bairro.  Naquele ano, quase 90 mil italianos chegaram a São Paulo. “Era muito fácil comemorar porque todos conheciam a lenda da Befana. Na minha infância até era feriado”, conta Lucia.
Acredita-se que Befana tem a aparência de uma bruxa e leva os doces para as crianças sempre montada em sua vassoura. Lucia defende que não. “Ela é uma camponesa, não uma bruxa”. Pelo costume de presentear as crianças, muitos assemelham Befana a São Nicolau de Mira, o religioso que inspirou a figura do Papai Noel. Há quem ouse dizer que Befana seria uma amante de Noel. “Mas isso é bobagem”, dispara Lucia.