No próximo dia 2 de março, os cinéfilos – e os demais curiosos – conhecerão os vencedores da 86a edição da premiação do Oscar. Enquanto a hora não chega, que tal conferir curiosidades sobre os 85 filmes que já ganharam o Oscar de Melhor Filme?
1. Asas (1929)

O grande vencedor da primeira edição do Oscar foi também o primeiro a mostrar um beijo gay nas telonas. Apesar de não conter carga erótica alguma, o emotivo selinho entre os personagens de Buddy Rogers e Richard Arlen, dois amigos pilotos da Primeira Guerra foi bastante ousado para a época.
2. Melodia na Broadway (1930)

Em Melodia na Broadway, Eddie Kane interpreta o produtor Francis Zanfield, uma referência à lenda da Broadway Florenz Ziegfeld Jr. Já o nome do vilão Jock Warriner é uma “homenagem” a Jack Warner, então presidente da Warner Bros, principal concorrente da MGM, estúdio que produziu o filme em questão.
3. Sem Novidade no Front (1930)

O diretor Lewis Milestone fez questão de não incluir nenhuma trilha sonora em Sem Novidade no Front. O objetivo era que o espectador não desviasse sua atenção da seriedade do assunto tratado – os horrores e traumas da guerra. O público estranhou tanto que, na época, alguns cinemas incluíram músicas de fundo por conta própria enquanto exibiam o filme.
4. Cimarron (1931)

Para adaptar para as telonas o romance Cimarron, os produtores do filme gastaram 125 mil dólares em direitos autorais – valor recorde para a época. Apesar de ter sido o grande premiado do ano pela Academia, Cimarron deu prejuízo à produtora RKO, que perdeu 5,5 milhões de dólares com a realização do filme.
5. Grande Hotel (1932)

O filme conseguiu um feito inédito: foi indicado apenas na categoria de Melhor Filme – e levou a estatueta. Greta Garbo exigiu uma iluminação vermelha para criar um clima mais romântico para os ensaios. A atriz quase recusou o papel por se considerar velha demais (ela tinha 27 anos) para interpretar uma bailarina.
6. Cavalgada (1934)

Noel Coward cobrou 100 mil dólares pelos direitos autorais da peça e das músicas usadas na produção de Cavalgada. A protagonista Diana Wynyard ganhou a marca de suas pegadas no Teatro Chinês de Los Angeles depois do sucesso do filme. Em 1936, a produção foi adaptada para o rádio.
7. Aconteceu Naquela Noite (1935)

Os personagens de Aconteceu Aquela Noite inspiraram a criação da turma do Pernalonga. O coelho é uma referência a Peter Warne, interpretado por Clark Gable. No filme, ele comia cenouras e falava muito rápido. O nome Bugs Bunny teria vindo de Bugs Dooley, personagem imaginário presente na trama do filme.
8. O Grande Motim (1936)

O fundador da MGM, Louis B. Mayer, odiou o roteiro de O Grande Motim. Para ele, faltava romance. Inicialmente, Clark Gable não queria interpretar o tenente Fletcher Christian. Ele foi convencido pelo produtor E. J. Mannix, que lhe revelou que aquele era o único personagem que se daria bem (com uma mulher) no filme.
9. Ziegfeld – O Criador de Estrelas (1937)

Ex-campeão de levantamento de peso, Nat Pendleton não teve dificuldade em interpretar Eugen Sandow, pai do fisiculturismo, em Ziegfeld – O Criador de Estrelas. Nat foi o primeiro a interpretar um fisiculturista nas telonas. Louise Rainer nunca tinha ouvido falar da artista Anna Held quando foi contratada para interpretá-la.
10. Émile Zola (1938)

No início do filme, Zola faz uma espécie de fogueira com alguns livros para aquecer seu apartamento. Quando Cezanne abre a janela para deixar a fumaça escapar, Zola pede para que ele as feche por causa do frio. Trata-se de uma referência à morte de Zola na vida real, depois de se intoxicar com o monóxido de carbono de uma chaminé entupida.
11. Do Mundo Nada se Leva (1939)

A atriz Ann Miller chorava com frequência no set de Do Mundo Nada se Leva. Pensando que ela estava triste, seu companheiro de cenas James Stewart costumava levar caixas de balas e chocolates para presenteá-la. Mais tarde, ela admitiu que chorava de dor, devido aos complexos passos de balé que tinha que realizar.
12. E o Vento Levou (1940)

Com 3h54min de duração, é a obra mais longa a vencer o Oscar de Melhor Filme. Dava para assistir Marty (1955), o mais curto a ganhar o prêmio, duas vezes e meia antes de Scarlett pendurar seu vestido de gala. Clark Gable não tinha a menor afeição pelo papel que o consagrou. Para ele, E o Vento Levou era “filme de mulherzinha”.
13. Rebecca – A Mulher Inesquecível (1941)

Vivien Leigh, a Scarlett de E o Vento Levou, fez o teste para interpretar a protagonista de Rebecca – A Mulher Inesquecível, mas acabou perdendo a vaga para Joan Fontaine. Lawrence Olivier só conseguiu o papel masculino principal porque Ronald Colman recusou a proposta.
14. Como Era Verde o Meu Vale (1942)

O filme ficou famoso por desbancar o favorito Cidadão Kane, de Orson Welles. John Ford consagrou-se como o diretor que mais venceu na categoria Melhor Diretor. Além de Como Era Verde o Meu Vale, renderam-lhe o prêmio O Delator (1935), As Vinhas da Ira (1940) e Depois do Vendaval (1952).
15. Rosa de Esperança (1943)

Rosa de Esperança foi o primeiro filme a receber cinco indicações ao Oscar. O discurso de Greer Garson pelo prêmio de Melhor Atriz durou 5min30s, um recorde da cerimônia. Greer Garson se casou com Richard Ney, que interpretou seu filho em Rosa de Esperança. O papel foi a estreia de Ney nas telonas.
16. Casablanca (1944)

A frase “Play it again, Sam” nunca foi dita no filme. Na verdade, Rick, interpretado por Humphrey Bogart, diz “You played it for her, you can play it for me. Play it!” (“Se você tocou para ela, pode tocar para mim. Toque!”). Já Ilsa (Ingrid Bergman) diz “Play it, Sam. Play ‘As Time Goes By’” (“Toque, Sam. Toque ‘As Time Goes By’”).
17. O Bom Pastor (1945)

Apesar de esta não ter sido a única vez em que Barry Fitzgerald interpretou um padre católico, o ator não era nada religioso. Os mais observadores podem reparar que, mais de uma vez, o personagem faz o sinal da cruz da direita para a esquerda, quando o correto é fazê-lo da esquerda para a direita.
18. Farrapo Humano (1946)

O diretor Billy Wilder revelou que a indústria de licores ofereceu cinco milhões de dólares à Paramount Filmes para que a produtora desistisse de lançar o filme, que discute o problema do alcoolismo. A produção marcou a estreia do Earle Hyman, aos 17 anos, como figurante.
19. Os Melhores Anos de Nossas Vidas (1947)

O diretor William Wyler descobriu o talento de Harold Russel depois de assistir a um vídeo de treinamento do exército, chamado Diário de um Sargento. Russel falava sobre a reabilitação dos soldados feridos na guerra. A atriz Cathy O’Donnell acabou se casando com Robert Wyler, irmão do diretor do filme.
20. A Luz é Para Todos (1948)

John Garfield só aceitou participar do filme depois que o produtor Darryl F. Zanuck prometeu-lhe que seria fiel ao roteiro de Moss Hart. Apesar do papel coadjuvante, Garfield recebeu um salário digno de protagonista. Anne Revere interpreta a mãe do personagem de Gregory Peck, apesar de ser apenas 11 anos mais velha do que ele.
21. Hamlet (1949)

O papel do pai de Hamlet é frequente e erroneamente atribuído a John Gielgud. Na verdade, Lawrence Olivier, que interpretou Hamlet, também dublou, ele mesmo, a voz do fantasma do pai do protagonista. Para dar um efeito macabro, a velocidade do som da gravação foi reduzida pela equipe de produção.
22. A Grande Ilusão (1950)

Mercedes McCambridge ganhou o papel de Sadie mesmo depois de ter brigado com os produtores do filme. No dia das audições, eles deixaram as atrizes esperando durante longas horas em um escritório em Nova York. Bastou para que McCambridge xingasse a equipe e saísse do local batendo a porta.
23. A Malvada (1951)

Bette Davis filmou todas as cenas da personagem Margo Channing em apenas 16 dias. Em A Malvada, Margo é uma atriz assombrada pelo fantasma de velhice. O filme foi transformado em um musical, que estreou na Broadway em 30 de março de 1970, ficando em cartaz ao longo de 896 performances.
24. Sinfonia de Paris (1952)

Gene Kelly dirigiu sozinho o número musical “Embraceable You”. Ele descobriu o talento de Leslie Caron durante uma viagem a Paris, quando assistiu a uma apresentação de seu grupo de balé. O ator e dançarino convenceu os produtores a bancar um filme de dança depois de apresentá-los à produção europeia Sapatinhos Vermelhos (1948).
25. O Maior Espetáculo da Terra (1953)

Cecil B. DeMille estava entre Marlene Dietrich e Hedy Lammar para o papel protagonista, mas mudou de ideia depois que Betty Hutton lhe deu um enorme arranjo de flores com uma miniatura dela mesma balançando em cima de um trapézio. Hutton ficou com o papel com uma condição: que perdesse um pouco de quadril.
26. A Um Passo da Eternidade (1954)

Montgomery Clift, Frank Sinatra e o autor James Jones tornaram-se grandes amigos durante as filmagens, frequentemente encarando legendárias bebedeiras. Clift ensinou Sinatra a interpretar o soldado Maggio em um dos poucos momentos de sobriedade do grupo.
27. Sindicato de Ladrões (1955)

Marlon Brando ganhou 100 mil dólares pelo papel do protagonista. O diretor Elia Kazan levou 100 mil mais 25% dos lucros com a bilheteria. A performance de Brando na pele de Terry Malloy foi eleita a segunda melhor da história do cinema pela revista Premiere, em 2006. Só perdeu para Peter O’ Toole em Lawrence da Arábia (1962).
28. Marty (1956)

Por Marty, Delbert Mann tornou-se o primeiro diretor estreante a levar o Oscar de Melhor Direção. O recorde foi mantido até 1981, quando Robert Redford repetiu a façanha por Gente Como a Gente. Foi o primeiro filme baseado em um programa de TV a ganhar o Oscar de Melhor Filme.
29. A Volta ao Mundo em 80 Dias (1957)

Gregory Peck foi contratado para viver o papel do oficial da cavalaria, mas o produtor Michael Todd o demitiu por não levar a sério o trabalho. Só então que o ator Tim McCoy foi selecionado. O vestido de gala usado por Marlene Dietrich custou 300 mil dólares.
30. A Ponte do Rio Kwai (1958)

O diretor David Lean queria que os soldados do coronel Nicholson entrassem em campo cantarolando Hitler Has Only Got One Ball, paródia da música Colonel Bogey March que, por tirar sarro de Adolf Hitler e outros líderes nazistas, ficou popular durante a Segunda Guerra Mundial. Lean foi barrado pelo produtor Sam Spiegel.
31. Gigi (1959)

Jacques Bergerac, que interpreta o professor de skate Sandomir, não sabia andar de skate. Leslie Caron, Louis Jordan e Maurice Chevalier são todos franceses, como os personagens que interpretam (Gigi, Gaston e Honore Lachaille, respectivamente). O papel da tia Alicia foi oferecido a Ina Claire, mas ela recusou.
32. Ben-Hur (1960)

O épico levou 11 das 12 indicações ao Oscar. Ben-Hur foi o primeiro remake a ganhar o prêmio de Melhor Filme. O Ben-Hur original foi dirigido por Fred Diblo em 1925. May McAvoy, que interpretou Esther no primeiro filme, foi o único membro da produção original a aparecer na refilmagem, como figurante em uma cena.
33. Se Meu Apartamento Falasse (1961)

Billy Wilder já tinha o ator Jack Lemmon em mente quando escreveu o roteiro de Se Meu Apartamento Falasse. O diretor parecia gostar do sobrenome Sheldrake, que aparece em personagens de outros três de seus filmes: Crepúsculo dos Deus (1950), A Montanha dos Sete Abutres (1951) e Beija-me, Idiota (1964).
34. Amor, Sublime Amor (1962)

O papel de Maria foi oferecido a Audrey Hepburn, mas ela recusou, porque estava grávida de Sean H. Ferrer. O número musical “Cool” foi tão difícil de fazer que os atores fizeram um ritual para queimar suas joelheiras quando conseguiram completar a cena. Amor, Sublime Amor foi adaptado para a Broadway, sendo encenado 732 vezes.
35. Lawrence da Arábia (1963)

Marlon Brando foi chamado para interpretar T. E. Lawrence, mas acabou escolhendo o papel de Fletcher Christian em O Grande Motim (1962). Depois disso, Anthony Perkins também foi cotado para viver o protagonista consagrado na pele de Peter O’ Toole. O diretor David Lean só ganhou sua porcentagem do lucro de bilheteria do filme em 1978.
36. As Aventuras de Tom Jones (1964)

Hugh Griffith estava bêbado durante grande parte das filmagens. A cena em que seu cavalo cai em cima dele não foi planejada, e por sorte Griffith saiu ileso. A equipe de filmagem aproveitou para captar cada ângulo antes que o resgate fosse liberado para ajudar o ator. O filme também marcou a estreia da atriz Lynn Redgrave nas telonas.
37. Minha Bela Dama (1965)

A expressão que serve de título para o filme não aparece nos diálogos ou em nenhuma das canções. Um dos mais clássicos romances do cinema, o filme não possui nenhuma cena de beijo. Jack L. Warner, diretor da Warner Bros, considerava Minha Bela Dama sua maior realização em vida.
38. A Noviça Rebelde (1966)

Sean Connery e Richard Button foram cotados para o papel do Capitão Von Trapp, que acabou ficando para Christopher Plummer. Portia Nelson, que interpretou a irmã Berthe, foi a única integrante do elenco original do musical da Broadway a aparecer também no filme.
39. O Homem que Não Vendeu Sua Alma (1967)

A atriz Vanessa Redgrave foi chamada para interpretar Margaret More, mas recusou devido à agenda teatral que cumpria na época. Em compensação, aceitou fazer uma ponta como Ana Bolena, e se recusou a receber cachê pelo trabalho. Richard Burton não aceitou o convite para interpretar Sir Thomas More.
40. No Calor da Noite (1968)

Rod Steiger adotou o sotaque do Sul dos Estados Unidos durante todo o tempo de filmagens, tanto nos sets como em sua vida pessoal. O diretor Norman Jewison pediu a Steiger que mascasse chicletes enquanto atuasse, para ajudá-lo a imitar a dicção sulista. O ator consumiu, ao todo, 263 pacotes da guloseima!
41. Oliver! (1969)

O número musical “Boy for Sale” foi gravado em julho (alto verão europeu), apesar do cenário de neve. As filmagens externas dependiam da disposição das nuvens no céu de Londres. Os flocos de neve foram feitos de poliestireno, sal, bolinhas de sabão e purê de batatas.
42. Perdidos na Noite (1970)

Bob Dylan escreveu a música “Lady, Lady” para o filme, mas não a completou a tempo para que ela entrasse na trilha sonora. Charles Durning fazia parte do elenco do filme, mas desistiu na última hora. Robert Blake foi cotado para interpretar Ratso, mas recusou. O filme marcou a estreia do ator Bob Balaban nas telonas.
43. Patton – Rebelde ou Herói? (1971)

Muitos dos mapas da Europa mostrados no filme, que se passa na Segunda Guerra Mundial, mostram a Alemanha já dividida em oriental e ocidental, além de outras fronteiras que foram redefinidas depois de 1945. Também aparece um Jeep Mack B, que só seria produzido em 1953.
44. Operação França (1972)

O filme é baseado em um caso real que aconteceu em Nova York no início dos anos 70. Os protagonistas Popeye Doyle e Buddy Russo foram inspirados nos detetives Eddie Egan e Sonny Grosso. Assim como os personagens do filme, Egan e Grosso invadiam bares e semeavam pânico, até que os suspeitos de determinado crime se revelassem.
45. O Poderoso Chefão (1973)

As filmagens de O Poderoso Chefão duraram 62 dias. Quando foi anunciado vencedor do Oscar de Melhor Ator, foi uma suposta ativista indígena chamada Sacheen Littlefeather quem subiu ao palco em nome de Marlon Brando, recusou o prêmio e fez um discurso reclamando do tratamento dado aos índios norte-americanos.
46. Golpe de Mestre (1974)

Golpe de Mestre foi o único filme em que Robert Redford recebeu uma indicação ao Oscar como ator. Foi a segunda vez que Redford, Paul Newman e o diretor George Roy Hill trabalharam juntos. O trio já tinha aparecido em Butch Cassidy (1969). Na época, Redford e Newman eram considerados os dois atores mais atraentes de Hollywood.
47. O Poderoso Chefão: Parte II (1975)

Marlon Brando e Robert De Niro são os dois únicos atores que ganharam Oscars pela interpretação do mesmo personagem. Brando levou o prêmio de Melhor Ator por O Poderoso Chefão (1972) e De Niro o de Melhor Ator Coadjuvante por O Poderoso Chefão: Parte II, ambos pelo papel de Vito Corleone.
48. Um Estranho no Ninho (1976)

Louise Fletcher estava tão chateada com o fato de que todos os atores podiam rir à vontade, enquanto ela tinha de ser fria e má, que um belo dia, perto do fim das filmagens, a atriz tirou o vestido e andou pelo set só de calcinha, para provar que também sabia ser brincalhona.
49. Rocky, um Lutador (1977)

A maioria das cenas de Rocky correndo pela Filadélfia foram filmadas do jeito amador, sem autorização oficial, equipamento profissional ou figurantes. A cena em que Rocky passa ao lado de um barco ancorado é uma delas. A equipe estava passando pelo local, quando o diretor John G. Avildsen avistou o barco e achou que daria um belo cenário.
50. Noivo Neurótico, Noiva Nervosa (1978)

O título original do filme é Annie Hall, uma brincadeira com o verdadeiro nome da atriz Diane Keaton, Diane Hall. A cena em que Alvy (Woody Allen) espirra depois de cheirar cocaína foi acidental. O diretor resolveu deixá-la na pré-estreia, para testar a reação do público. Foi o auge das risadas na sala de cinema ao longo da exibição.
51. O Franco Atirador (1979)

O diretor Michael Cimino convenceu Christopher Walken a cuspir na cara de Robert De Niro para gravar uma cena. De Niro ficou completamente chocado com a atitude do colega, e quase abandonou o set. Christopher Walken conseguiu atingir o visual arredio e misterioso de seu personagem consumindo uma dieta à base de arroz e banana.
52. Kramer versus Kramer (1980)

Dustin Hoffman planejou por conta própria o momento em que joga um copo de vinho na parede de um restaurante, na cena em que discute com a personagem de Meryl Streep. Ele só avisou ao câmera, para que ele não deixasse de filmar o estrago. A reação de choque de Meryl Street é, portanto, totalmente autêntica.
53. Gente Como a Gente (1981)

Gene Hackman foi originalmente escalado para o papel de Dr. Berger, mas desistiu no último momento. Em seu lugar, foi colocado Judd Hirsch, que aceitou a proposta com uma condição: a de matar as filmagens em oito dias, para não atrapalhar sua agenda no programa de televisão Taxi.
54. Carruagens de Fogo (1982)

Os figurantes que compunham o público das Olimpíadas foram instruídos a se vestirem de preto, para que não chamassem a atenção do espectador. Esses atores receberam 10 dólares pelo trabalho. Os que tiveram de usar roupas de época ganharam 20 dólares. Originalmente, o filme foi batizado de Runners (Corredores).
55. Gandhi (1983)

Ben Kingsley ficou tão parecido com Mohandas Gandhi que muitos locais pensaram que ele fosse a reencarnação do líder. Uma baita coincidência histórica: quando Mohandas Gandhi, interpretado por Ben Kingsley, visitou Londres, ele ficou hospedado no centro comunitário Kingsley Hall.
56. Laços de Ternura (1984)

O papel de Emma foi originalmente escrito para ser interpretado por Sissy Spacek, mas ficou para Debra Winger. Ela e Shirley MacLaine foram indicadas ao Oscar de Melhor Atriz, que saiu para MacLaine. A caminho do palco, ela sussurrou para a colega: “Metade dele pertence a você”. Winger respondeu: “Ok, aceito a metade!”.
57. Amadeus (1985)

Uma série de professores de música comprovaram que, ao longo do filme, não há uma única tecla de piano tocada incorretamente, comparando-se ao que se ouve no exato momento. Quando apresentou o prêmio de Melhor Filme, Sir Lawrence Olivier se esqueceu de ler os indicados, revelando, de cara, o vencedor: Amadeus.
58. Entre Dois Amores (1986)

O filme foi gravado na África, mas leis locais proibiram o uso de animais selvagens. Por isso, a equipe importou leões treinados da Califórnia. Meryl Streep ficou muito nervosa ao gravar a cena em que ela lava os cabelos pertinho de alguns hipopótamos bravos. A atriz desenvolveu o sotaque da personagem escutando gravações reais de Isak Dinesen.
59. Platoon (1987)

O diretor Oliver Stone tornou-se o primeiro veterano da Guerra do Vietnã a produzir um filme sobre o conflito, em 1986. Oliver Stone recebeu duas condecorações por ferimentos sofridos nos quinze meses em que lutou na Guerra do Vietnã, entre 1967 e 1968.
60. O Último Imperador (1988)

O Último Imperador foi a primeira produção de Hollywood que conseguiu a permissão do governo chinês para filmar na Cidade Proibida. Antes disso, o único vídeo ocidental que já tinha conseguido essa façanha tinha sido um documentário produzido e dirigido por Lucy Jarvis de 1973.
61. Rain Man (1989)

A cena do aeroporto foi cortada pela maioria das companhias aéreas que exibiram o filme em suas viagens. A Qantas foi uma exceção: a empresa não só não censurou a cena como ofereceu um lugar na primeira classe ao roteirista de Rain Man, quando ele viajou pela companhia aérea.
62. Conduzindo Miss Daisy (1990)

Com o papel de Daisy Werthan, Jessica Tandy tornou-se a mais velha atriz a ganhar um Oscar, aos 80 anos e 293 dias. A trilha sonora de Hans Zimmer foi feita integralmente com o uso de sintetizadores, tocados por ele mesmo. Não houve participação de nenhuma orquestra.
63. Dança com Lobos (1991)

Na cena em que um búfalo se prepara para atacar um jovem índio, ele na verdade está se preparando para atacar um de seus sonhos de consumo: um pacote de biscoito recheado. Para o filme ficar mais realista, um profissional foi contratado para ensinar ao elenco a língua Lakota, falada pelos índios locais.
64. O Silêncio dos Inocentes (1992)

No primeiro encontro entre Lecter e Starling, Anthony Hopkins improvisou a tiração de sarro que faz em relação ao sotaque sulista da personagem de Jodie Foster. A reação assustada da atriz foi, portanto, genuína. Mais tarde, ela agradeceu ao veterano ator pelo truque para deixar a cena mais realista.
65. Os Imperdoáveis (1993)

Com a devida correção inflacionária, a recompensa de 1.000 dólares por cada cowboy fora-da-lei da trama seria o equivalente a 110.000 dólares nos dias de hoje. O filme é dedicado a Sergio Leone e Don Siegel, mentores de Clint Eastwood no faroeste. Os Imperdoáveis foi o terceiro filme do gênero a levar o Oscar de Melhor Filme.
66. A Lista de Schindler (1994)

A Lista de Schindler foi filmado em 71 dias, mesmo tempo gasto com Parque dos Dinossauros, outro sucesso do diretor Steven Spielberg. Mas o vencedor de sete Oscars de 1994 custou apenas um terço do que foi gasto com o filme sobre dinossauros. Saiu pela “bagatela” de 23 milhões de dólares.
67. Forrest Gump (1995)

Em referência ao músico folk Bob Dylan, Jenny (Robin Wright Penn) usa o nome Bobbie Dylan quando aparece cantando a música “Blowin’ in the Wind” em uma boate. Toda vez que Forrest Gump aparece com uma idade diferente, ele está usando uma camisa xadrez azul.
68. Coração Valente (1996)

Braveheart (“coração valente”) era, na verdade, o apelido de Roberto I (outro herói escocês), e não de William Wallace. O “direito da primeira noite”, que permitia que o senhor feudal tirasse a virgindade das filhas de seus servos, é tema central da trama do filme, apesar de nunca ter sido imposto na história das ilhas britânicas.
69. O Paciente Inglês (1997)

Bruce Willis foi chamado para interpretar Caravaggio, mas seu agente o convenceu a recusar o papel. Em 2005, o Oscar que Juliette Binoche ganhou por O Paciente Inglês foi retocado pela Academia. É que seu filho de três anos gostava de brincar com a estatueta, que acabou ficando manchada e descascada.
70. Titanic (1998)

Interpretado por Leonardo DiCaprio, Jack Dawson era um passageiro do Titanic apenas na ficção até que se descobriu que um verdadeiro J. Dawson morreu a bordo do navio, em 1912. No filme, exatos 37 segundos se passam do momento em que a tripulação avista o iceberg até a batida – o mesmo tempo em que o processo ocorreu na vida real.
71. Shakespeare Apaixonado (1999)

Judi Dench gostou tanto da réplica do teatro The Rose, construída como parte do cenário, que a produtora Miramax deu de presente a ela depois que se encerraram as filmagens. Na época, a atriz anunciou que estava em busca de um local e de um patrocinador para conseguir dar funcionalidade à estrutura.
72. Beleza Americana (2000)

Quando Lester joga o prato de aspargos na parede, as reações de Annette Bening e Thora Birch são genuínas. Isso porque, segundo o roteiro, ele deveria ter arremessado a comida no chão. Kevin Spacey também improvisou tudo o que ele faz dentro do carro quando canta “American Woman” chapado.
73. Gladiador (2001)

O ator Oliver Reed sofreu um ataque cardíaco fatal durante as filmagens. Algumas cenas tiveram de ser filmadas com o uso de um dublê, que ganhou uma máscara 3D computadorizada do rosto de Reed. Vinte e quatro carruagens foram construídas para a produção do filme (apesar de apenas seis aparecerem em cena).
74. Uma Mente Brilhante (2002)

As equações matemáticas no quadro-negro da sala de aula são reais, e foram escritas pelo próprio John Nash. A cena em que Nash, já velho, admira a própria xícara de chá foi inspirada em um episódio real: no primeiro encontro entre Russel Crowe e John Nash, o matemático demorou 15 minutos para decidir entre pedir um café ou um chá.
75. Chicago (2003)

O diretor Rob Marshall queria que Catherine Zeta-Jones usasse seus longos cabelos naturais para interpretar Velma Kelly, mas ela insistiu na peruca curta. Tudo para o cabelão não cair na cara dela durante as cenas de dança. Richard Gere fez aulas de sapateado durante três meses para conseguir filmar sua cena de dança, que ele matou em meio dia de filmagens.
76. O Senhor dos Anéis – O Retorno do Rei (2004)

O diretor Peter Jackson sofre de aracnofobia. Para desenhar a aranha gigante Shelob, ele se baseou em seus maiores medos. Um filme comum utiliza, em média, 200 efeitos especiais. O Senhor dos Anéis – O Retorno do Rei tem 1488. Viggo Mortensen encarnou seu personagem de tal maneira que, fora do set, era chamado de Aragorn por Peter Jackson.
77. Menina de Ouro (2005)

Hillary Swank passou por um rígido treinamento para interpretar a protagonista do filme. Ela ganhou 9 kg de massa muscular. Lucia Rijker, campeã de boxe que interpreta a lutadora Billie “The Blue Bear”, foi responsável pelo treinamento da atriz. Aos 74 anos, Clint Eastwood se tornou o mais velho da história a levar o Oscar de Melhor Diretor.
78. Crash – No Limite (2006)

Apesar de Sandra Bullock ter sido reconhecida por seu papel no filme, suas cenas não contabilizam nem seis minutos do filme. A atriz estava tão comprometida com o trabalho que comprou as próprias passagens de avião para comparecer ao set. As filmagens se completaram em 36 dias.
79. Os Infiltrados (2006)

Para interpretar seu personagem, Mark Wahlberg se inspirou nos policiais que o prenderam mais de vinte vezes durante sua juventude. Ao todo, 21 pessoas morrem ao longo do filme. É a produção em que mais aparece a palavra “fuck” a ganhar o Oscar de Melhor Filme. O palavrão é repetido 237 vezes!
80. Onde os Fracos Não Têm Vez (2007)

O título original do filme, No Country for Old Men, foi inspirado pelo poema “Sailing to Byzantium”, de William Butler Yeats. No papel do assassino Anton Chigurh, Javier Bardem tornou-se o primeiro ator espanhol a ganhar o Oscar de Melhor Ator. Foi o primeiro vencedor do Oscar de Melhor Filme editado com o programa Final Cut Pro.
81. Quem Quer Ser um Milionário? (2008)

A pilha de fezes em que o jovem Jamal pula em cima foi feita de uma mistura de pasta de amendoim com chocolate. Por pouco, o filme não foi lançado como produção para a tevê. Quem Quer Ser um Milionário e A Lista de Schindler (1993) foram os únicos filmes da história a ganhar os prêmios de Melhor Filme e Melhor Direção no Oscar, Globo de Ouro e Bafta Awards.
82. Guerra ao Terror (2009)

O filme foi rodado em uma locação na Jordânia. Parte dele era para ter sido feita em uma base militar norte-americana no Kuait, mas o acesso da equipe ao local foi negado na última hora. Kathryn Bigelow se tornou a primeira mulher a ganhar o Oscar de Melhor Direção.
83. O Discurso do Rei (2010)

Em O Discurso do Rei, um australiano (Guy Pierce) interpreta um britânico, uma britânica (Eve Best) interpreta uma americana e uma americana (Jennifer Ehle) interpreta uma australiana. Entre os personagens do filme, há quatro monarcas britânicos: Rei George V (1910 – 1936), Rei Eduardo VIII (1936 – 1936), Rei George VI (1936 – 1952) e Rainha Elizabeth II (1952 – presente).
84. O Artista (2011)

Não há uma única cena com zoom no filme, porque este recurso ainda não tinha sido inventado nos anos 20, época em que se passa a trama. A cena do café-da-manhã, que mostra o rompimento de um casamento, é uma homenagem direta a uma cena quase idêntica de Orson Welles, em Cidadão Kane.
85. Argo (2012)

Com a performance de John Goodman na pele do artista de maquiagem John Chambers, é a primeira vez na história do cinema em que um ganhador do Oscar é retratado em uma produção vencedora do Oscar de Melhor Filme. Quando Chris Terrio escreveu o roteiro, ele imaginou que o protagonista seria vivido por George Clooney.