Hambúrguer, bacon, alface, queijo e… uma tarântula! O lanche bastante inusitado é a nova empreitada da hamburgueria Bull City, localizada na Carolina do Norte, nos Estados Unidos. A aranha é assada no forno com um pouco de sal e servida em cima do hambúrguer de carne feito no próprio local. Ao contrário de outras comidas que levam insetos, a tarântula aparece inteirinha no prato, que faz parte do menu especial do “Mês da Carne Exótica” criado pelo restaurante.

Apenas 18 “sortudos” poderão experimentar o hambúrguer com a aranha assada por cima

E o gosto? Segundo o dono do local, os clientes costumam dizer que o gosto da iguaria lembra caranguejo ou frutos do mar em geral. Alguns percebem um gosto metálico. No entanto, o chef insiste: cada parte do corpo tem um sabor um pouco diferente, então é impossível generalizar. Como são apenas 18 tarântulas disponíveis, quem desejar provar o hambúrguer deve disputar com outros interessados. A rifa custa 30 dólares (o equivalente a R$ 105), e um vencedor é sorteado por dia. O menu especial também oferece sanduíches com carne de jacaré, iguana, cobra, tartaruga e insetos.

Na Suíça, o hambúrguer de insetos “camuflados” foi o primeiro a ser vendido em supermercados

Em agosto do ano passado, a Suíça se tornou o primeiro país a autorizar a comercialização de hambúrgueres feitos de insetos no supermercado. Diferente da iguaria de Bull City, tudo é muito bem escondido: os gafanhotos, grilos e até larvas de farinha são triturados e transformados em um produto que poderia ser facilmente confundido com carne normal. A lei do país exige que os insetos sejam criados sob supervisão por quatro gerações antes que possam integrar produtos alimentícios para humanos.

Hambúrguer de pombo e minhocas de queijo, criado por uma marca de pesticida

A marca de pesticidas Rentokill também iniciou um projeto para promover a alimentação com base em insetos. Em 2014 e 2015, ela patrocinou eventos com restaurantes “pop-up” em onze países diferentes. Todos serviam uma variedade de comidas estranhas, e um dos carros-chefe foi um hambúrguer feito de carne de pombo com minhocas recheadas de queijo.

As iniciativas baseadas em insetos são geralmente acompanhadas pela promoção da dieta entomofágica, ou seja, uma alimentação composta pelos bichinhos. Seus defensores argumentam que eles são uma fonte exemplar de proteína, e que sua abundância no mundo e fácil criação diminuiria o impacto ambiental da alimentação humana do mundo. A criação de gado, por exemplo, envolve desmatamento e gera emissões substanciais de gás carbônico na atmosfera: os dados mais recentes, coletados em 2013, estimaram que 62% do total de emissões brasileiras de gases poluentes podem ser atribuídas à criação de gado.

No campo dos burgers esquisitos, um famoso concorrente da tarântula do Bull City foi lançado pelo museu japonês Orbi Yokohama em 2015. Era uma homenagem, por tempo limitado à exposição da época, dedicada a animais venenosos. No lugar da carne bovina, entrou um sapo frito e empanado, colocado no meio de dois pães tingidos com corante preto.

Museu japonês fez em 2015 sanduíche com sapo empanado e frito

Também tem coisa para quem curte algo mais gourmet. O restaurante Grub Kitchen, que abriu as portas em Londres no começo de 2015, tem um cardápio com pequenos e constantes “toques” de insetos. A torta de maçã caramelizada, por exemplo, vem com uma crosta de biscoito feito a partir de diferentes artrópodes.

  • Share/Bookmark