Tarzan invadiu as telas de cinema há exatos 100 anos. No dia 27 de janeiro de 1918, o filme “Tarzan of Apes” (Tarzan, o Homem-Macaco), dirigido por Scott Sidney e estrelado por Elmo Lincoln, fez sua estreia em Nova York, nos Estados Unidos. Era um filme mudo e em preto-e-branco. Ele inaugurou uma longa carreira cinematográfica para o personagem criado pelo escritor Edgar Rice Burroughs seis anos antes. Enid Markey fez o papel de Jane e o filme foi um dos primeiros da história a ultrapassar 1 milhão de dólares na bilheteria.

Johnny Weissmuller; a versão animada do personagem; e Alexander Skarsgård: estreia nas telas foi em 1918

Apesar de não estar mais em seu pico de popularidade, Tarzan representa uma importante virada em histórias de aventura, tendo aberto as portas para uma geração de super-heróis que não está restrita a figuras “reais” como cavaleiros, caubóis ou detetives. Confira 12 curiosidades sobre esse personagem icônico e suas diversas reproduções cinematográficas:

1 – A história de Tarzan só perde para Drácula em número de adaptações  para o cinema. Até 2017, foram 51 filmes sobre o homem da selva contra 55 do vampiro.

2 – Nos livros originais, Tarzan é filho de um lorde inglês e tem, portanto, status nobre. Esse fato é omitido da maior parte dos filmes.

3 – O ator original do primeiro filme, Stellan Windrow, abandonou as filmagens depois de cinco semanas para se alistar na Marinha dos Estados Unidos durante a Primeira Guerra Mundial. Foi substituído por Elmo Lincoln, 28 anos, 100 quilos e 2 metros de altura. Lincoln matou um leão de verdade numa cena de luta. O diretor utilizou apenas algumas cenas de Windrow pulando de árvore em árvore na versão final.

4 – Alguns dos macacos usados nas filmagens de “Tarzan, O Filho das Selvas” (1918) escaparam do set de filmagem e foram se refugiar na região de Tampa, na Flórida.

5 – O grito característico do personagem apareceu pela primeira vez na adaptação de W.S. Van Dyke, “Tarzan, O Filho das Selvas (1932)”, apesar de uma descrição constar no livro original. Existem duas versões a respeito da novidade: uma delas coloca o protagonista do filme, Johnny Weissmuller, como seu criador, e outra dá o crédito ao gravador de sons Douglas Shearer.

6 – Johnny Weissmuller foi a encarnação mais famosa da personagem, tendo estrelado como Tarzan em um total de 12 longas-metragens. Na década de 1920, antes de sua carreira em cinema, Weissmuller foi considerado o maior nadador de sua época. Conquistou cinco medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos de 1924 e 1928. Estabeleceu ainda um total de 67 recordes mundiais.

7 – Os elefantes usados nos filmes dos anos 1930 eram asiáticos, e não africanos. A diferença anatômica das espécies era disfarçada pelo uso de orelhas falsas nos animais. A escolha se deve ao temperamento dos elefantes: a espécie utilizada é mais dócil que a africana, ainda que menos fidedigna à história original.

8 – A primeira adaptação a ser gravada de fato na África foi “Tarzan na Terra Selvagem” (1951). O filme de 1932 foi feito em estúdio e em locações na Califórnia, e o de 1918, em Louisiana, ambos nos Estados Unidos.

Poster original de “Tarzan Na Terra Selvagem”, de 1951

9 – A versão animada produzida pela Disney em 1999 usou os movimentos do skatista Tony Hawk como base para as sequências de Tarzan deslizando por troncos.

10 – A animação foi a primeira a usar uma técnica que se tornaria comum em filmes da Disney: denominada “Deep Canvas”, ela permite que personagens desenhados à mão em 2D habitem um ambiente 3D.

11 – O filme da Disney também foi o primeiro em que os primatas que adotam Tarzan são gorilas, e não chimpanzés, como na história original de Edgar Rice Burroughs.

12 – Para interpretar Tarzan na adaptação hollywoodiana mais recente, “A Lenda de Tarzan” (2016), Alexander Skarsgård adotou uma dieta extremamente restritiva para atingir o físico tonificado do personagem. No fim das filmagens, a equipe o recompensou com uma torta banoffee, sobremesa inglesa feita com banana e chocolate, que ele comeu sozinho em poucas garfadas.

  • Share/Bookmark