Na próxima segunda-feira, 13 de novembro, o musical “The Lion King” irá completar 20 anos em cartaz no maior centro teatral do planeta: a Broadway, em Nova York. O espetáculo foi inspirado no filme de animação de mesmo nome lançado pela Disney em 1994 e que foi um absoluto sucesso em todo o mundo – inclusive no Brasil, onde ganhou o nome de “O Rei Leão”.  Como o tempo voa: numa passagem por Nova York, eu fui assistir a um dos ensaios abertos da peça antes de sua estreia. Os atores nem estavam caracterizados. Confira 20 curiosidades sobre o espetáculo musical que está completando duas décadas:

1. As aventuras de Simba, Timão, Pumba, Nala e companhia chegaram à Broadway no New Amsterdam Theathre em 15 de outubro de 1997. Mas o espetáculo só estreou oficialmente no dia 13 do mês seguinte para um público de 10.645 pessoas. Antes disso, o musical esteve em cartaz no Orpheum Theathre, em Minneapolis, no Estado de Minnesota. A primeira apresentação foi no dia 8 de julho de 1997.

2. O espetáculo foi produzido pela Walt Disney Theathrical, braço da companhia dedicado ao teatro. As principais canções são de Elton John com letras de Tim Rice. Os libretistas foram Roger Allers e Irene Mecchi. Os destaque ficam para “The Circle of Life”, “I Just Can’t Wait to be King” e “Hakuna Matata”.

3. Elton John foi um dos 11.866 presentes no espetáculo especial das comemorações dos 20 anos no último dia 5. Mais do que isso: surpreendeu o público durante o espetáculo ao aparecer em cena no piano tocando a trilha que compôs.

Elton John e Tim Rice, os autores da música principal de “O Rei Leão”

4. Julie Taymor assinou a direção de “The Lion King” e se tornou a primeira mulher a ganhar o Tony Award (equivalente ao Oscar para o mundo do teatro) de melhor diretora em 1998.

5. A primeira intérprete de “O Ciclo da Vida”, a principal canção do musical, foi a sul-africana Lindiwe Dlamini. Prestes a completar 30 anos à época, ela estava passando por uma situação difícil. Ela não estava conseguindo encontrar trabalho no concorrido mundo da Broadway, mesmo sendo uma atriz com dez anos de experiência. Ao passar no teste para “The Lion King”, a sorte mudou.

6. “O Rei Leão” é considerado o musical de maior sucesso da história até hoje. Estimativa feita pelo site Playbill, em agosto deste ano, apontou para uma arrecadação de 1,4 bilhão de dólares, equivalente a 4,5 bilhões de reais. Em compensação, foi também o terceiro musical mais caro produzido na Broadway, atrás apenas de “Spiderman: Turn Off the Dark” (2011) e “Shrek” (2008), de acordo com levantamento feito pelo site TheRichest em 2014. A estimativa é de que tenham sido gastos 27,5 milhões de dólares (equivalente a 90 milhões de reais) na produção do show. Os valores não estão corrigidos.

“The Lion King” estreou em 1997 e já é o terceiro há mais tempo em cartaz na Broadway

7. “The Lion King” já é o terceiro espetáculo com maior tempo de exibição permanente na Broadway, perdendo apenas para “The Phantom of the Opera” (“O Fantasma da Ópera”), que estreou em 1988, e “Chicago”, que entrou em cartaz em 1996. Ambos ainda estão em exibição.

8. A exibição especial de 20 anos de “O Rei Leão” foi a de número 8.317 na história do espetáculo na Broadway. Na mesma data, “The Phantom of the Opera” tinha 12.390 apresentações e “Chicago”, 8.715.

9. Com tanto tempo em cartaz, é natural que o espetáculo passe por constantes modificações. Novas músicas já foram acrescentadas ao repertório do show ao longo dos anos. A trilha original era composta por 20 músicas.

10. O enredo do musical acaba sendo diferente do enredo do filme em vários momentos. Só para ficar em um exemplo (e não dar spoiler): no musical, o macaco Rafiki é, na verdade, uma macaca. A diretora Julie Taymor dizia que o filme tinha poucas personagens femininas, então resolveu mudar o gênero de Rafiki.

Rafiki: no filme, macaco; no musical, macaca

11. Em 2006, o musical deixou o New Amsterdam Theatre (conhecido como o “Teatro da Disney”) e se transferiu para o Minskoff Theathre, onde está até hoje. “Mary Poppins” ocupou o seu lugar no New Amsterdam Theathre.

12. Em todos esses anos de Broadway, “O Rei Leão” fez apenas 11 apresentações para um público inferior a 10 mil pessoas. Todas em domingos. O público gira em torno de 13 mil a 15 mil espectadores. O menor público da história foi de 5.737 presentes no domingo 16 de setembro de 2001, a primeira apresentação depois dos atentados terroristas de 11 de setembro. O maior público foi registrado em 13 de dezembro de 1998, com 15.949 pessoas acompanhando a apresentação. No total, foram 13.292.413 ingressos vendidos até hoje.

13. O ingresso mais barato para a apresentação de “The Lion King” no Minskoff Theathre custa 126 dólares (410 reais), enquanto o mais caro sai por 227 dólares (740 reais).

14. As apresentações duram duas horas e meia com um intervalo de 15 minutos entre o primeiro e o segundo atos.

“The Lion King” em Londres: 90 milhões de ingressos vendidos ao redor do mundo

15. Estima-se que 90 milhões de ingressos tenham sido vendidos pelo espetáculo ao redor do mundo. Além das turnês nacionais pelos Estados Unidos, o espetáculo já passou por Japão, Inglaterra, Canadá, Alemanha, Austrália, China, Holanda, Coreia do Sul, África do Sul, França, Taiwan, Cingapura, Espanha, Brasil, Suíça e México. São 17 países nos cinco continentes.

16. A primeira exibição internacional aconteceu em Tóquio, no Japão, no dia 20 de dezembro de 1998. O espetáculo segue em exibição por lá até hoje. O mesmo acontece nas cidades de Londres, na Inglaterra (desde 1999); Hamburgo, na Alemanha (desde 2001); e Madrid, na Espanha (desde 2015).

17.  “The Lion King” também teve longas exibições permanentes nas cidades norte-americanas de Los Angeles (2000 a 2003) e Las Vegas (2009 a 2011) e mundo afora em Toronto, no Canadá (1999 a 2004); em Paris, na França (2007 a 2010); em Joanesburgo, na África do Sul (2007 a 2008); Sidney, na Austrália (de 2003 a 2005); em Melbourne, também na Austrália (2005 a 2006); em Seul, na Coreia do Sul (2006 a 2007); em Taiwan (2008 a 2009) e em Xangai, na China (2016 a 2017).

18. No Brasil, “O Rei Leão” estreou em 28 de março de 2013 e deveria ter uma curta temporada. Por causa do sucesso, o espetáculo ficou em cartaz até o dia 14 de dezembro de 2014. Foram 662 apresentações, que venderam cerca de 850 mil ingressos no Teatro Renault, em São Paulo. Só ficou atrás de “O Fantasma da Ópera” (2005 a 2007), assistida por 880 mil pessoas.

“O Rei Leão” ficou em cartaz por um anoe meio no Teatro Renault, em São Paulo

19. O papel de Rafiki na versão brasileira ficou com a atriz sul-africana Phindile Mkhize, que já havia participado da turnê original pelos Estados Unidos. As versões das músicas foram feitas por Gilberto Gil.

20. As exibições fora dos Estados Unidos ganham adaptações musicais e de enredo de acordo com a cultura de cada país, por vezes inserindo elementos da cultura local dentro do contexto da obra.

  • Share/Bookmark