A Catalunha deve declarar amanhã a sua independência em relação à Espanha. Isso acontece nove dias depois que um polêmico referendo apontou que 90% dos catalães dão apoio à autonomia do Estado da Catalunha. As autoridades espanholas reagiram rápido. O primeiro-ministro Mariano Rajoy anunciou hoje pela manhã que a unidade nacional será preservada a todo custo.

Se conseguir sua independência, a Catalunha passará a ter símbolos nacionais próprios. A bandeira, por exemplo, deverá ter listras horizontais alternadas em vermelho e amarelo. Chamada de La Senyera (“a insígnia” ou “o estandarte”), ela representa também as comunidades autônomas de Aragão, Ilhas Baleares e Valência: “As cores vermelho e amarelo estão presentes em bandeiras ou brasões de regiões francesas e no brasão de armas de Andorra. Todos esses locais pertenceram, em uma época ou outra, à Coroa de Aragão”, explica o professor Tiago Berg, autor do livro “Bandeiras de Todos os Países do Mundo”.

La Senyera, a bandeira do estado autônomo da Catalunha e futura bandeira de um eventual estado independente

A Coroa de Aragão foi um território constituído entre 1101 e 1707 em uma área muito próxima a que hoje corresponde ao território catalão e tinha uma bandeira parecida com a da Catalunha. “Essa bandeira amarela com quatro barras em vermelho é uma das mais antigas da Europa, mas foi e voltou sem uso corrente ao longo dos anos”, conta Berg. Os catalães adotaram La Senyera em 1933 como um dos Estados do Reino da Espanha. “A primeira aparição de La Senyera é de 1082, no túmulo de Ramon Berenguer II, conde de Barcelona, mas existem historiadores que apontam que os condes já a adotavam desde o século X”, pontua o autor.

Brasão da Coroa de Aragão deu origem à bandeira da Catalunha

Segundo Tiago, desde o século XIV existe uma lenda que explica a origem da bandeira: “No final do século IX, as barras vermelhas teriam sido desenhadas no escudo do conde Vilfredo I, de Barcelona, pelo rei Carlos, o Calvo, da França. Barcelona havia sofrido um cerco do governador de Lleda e batalhou ao lado dos franceses contra uma invasão na Península Ibérica. Vilfredo ficou ferido e não pôde lutar. Então Carlos limpou os ferimentos e desenhou as barras com sangue no escudo. No dia seguinte o exército catalão marchou com este escudo”, narra.

La Estrelada é o símbolo da Independência da Catalunha

Quem acompanha o debate sobre a independência da Catalunha certamente já viu La Senyera. Mas percebeu também que há uma variação com um detalhe a mais. “La Estrelada” é muito parecida com La Senyera, mas conta também com um triângulo azul na base lateral esquerda e, dentro deste triângulo, com uma estrela branca. “Essa bandeira é não-oficial e usada pelas pessoas que defendem a independência da Catalunha”, explica o professor Berg.  “A inspiração veio das bandeiras de Porto Rico e Cuba, que conseguiram independência da Espanha”.

Bandeiras de Cuba e Porto Rico inspiraram símbolo da independência catalã

Tiago Berg conta que La Estrelada surgiu pela primeira vez em 1918 em um panfleto do Dia Nacional Catalão, mas só ganhou força na década de 1930, durante a ditadura de Francisco Franco (1939-1975): “A bandeira voltou a aparecer com força nos referendos de 2014 e 2017”. Tiago explica ainda que existe uma variação de La Estrelada em que o triângulo é amarelo e a estrela é vermelha: “Essa é usada por grupos de extrema esquerda”, finaliza.

Adaptação de La Estrelada é usada por grupos de extrema esquerda

Se declarada a independência, é provável que La Estrelada caia em desuso, uma vez que se trata de um símbolo da luta pelo fim da subordinação ao estado espanhol.

Do nosso arquivo: Se a Catalunha virar um país, o que acontece no futebol?

  • Share/Bookmark