Está em cartaz no Pavilhão da Bienal, no Parque Ibirapuera, em São Paulo, a exposição “A Era dos Games”. Programada para ficar na cidade até 12 de novembro, a mostra apresenta 150 games clássicos e atuais ao longo de 13 salas temáticas. Um dos trunfos da mostra é a possibilidade de jogar os games. Exposição bem semelhante, a “Game On”, foi sucesso absoluto de público entre 2011 e 2012 no Museu da Imagem e Som de São Paulo.  Eventos assim vêm pipocando aqui e ali para felicidade dos gamers. Na já tradicional Brasil Game Show, o criador do evento, Marcelo Tavares, expõe a enorme coleção de consoles. Em março desse ano, o Museu Replay, em Santos (SP), levou o público a viajar pela história dos fliperamas.

Exposição “A evolução do videogame” contou a história dos consoles na Brasil Game Show

Um projeto criado em 2011 dá mais um sinal do crescimento desse tipo de atração no Brasil: o Museu do Videogame abriu as portas em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, e em pouco tempo adicionou o “Itinerante” ao nome. Hoje, os 300 títulos percorrem o país, mas, pelo menos uma vez por ano, voltam à terra natal para 15 dias de exposição.

Se você não quiser esperar por exposições esporádicas ou itinerantes e estiver com alguma viagem marcada, o Blog do Curioso preparou um roteiro de 10 museus temáticos sobre videogames espalhados pelo mundo.

1. National Videogame Museum (Frisco, Estados Unidos)
Aberto em 2016, na cidade de Frisco, no Texas, é um dos mais recentes museus com essa temática nos Estados Unidos. São 970 metros quadrados, que percorrem desde os clássicos arcades até os games mais modernos. O museu foi erguido numa campanha de financiamento coletivo na internet e a localização foi escolhida em uma votação entre os colaboradores. A ideia inicial era instalá-lo no Vale do Silício.

2. Pinball Hall of Fame (Las Vegas, Estados Unidos)
Na capital mundial dos jogos de azar, os games também têm vez: o “Pinball Hall of Fame” reúne 400 máquinas típicas dos anos 1980. O museu foi reaberto e repaginado em 2009 e ocupa uma área de 10 mil metros quadrados. Ele é mantido pelo Clube de Colecionadores de Máquinas de Fliperama de Las Vegas. As máquinas estão disponíveis para o público. Cada partida custa de 20 a 50 centavos de dólar.

Acervo de máquinas de fliperama é a aposta do Pinball Hall of Fame

3. Museum of Soviet Arcade Machines (Moscou, Rússia)
Este museu tem uma particularidade em relação aos demais: reúne apenas máquinas arcades produzidas na antiga União Soviética durante as décadas de 1970 e 1980. O projeto é da Universidade Politécnica de Moscou e reúne 37 máquinas que ficaram restritas ao mundo comunista durante a Guerra Fria.

Máquinas soviéticas em museu de Moscou

4. Computerspielemuseum (Berlim, Alemanha)
O nome complicado pode ser traduzido para “Museu dos Jogos de Computador de Berlim”. Inaugurado em 1997, ele está totalmente focado nos jogos de computador, embora também reserve um espaço para os arcades. São 16.000 jogos e cerca de 10.000 publicações com estudos sobre a história dos videogames no acervo. Nos últimos cinco anos, 470 mil turistas visitaram o (respire fundo!) Computerspielemuseum.

Leia mais: almanaque superilustrado traz curiosidades sobre a história dos games

5. Finnish Museum of Games (Tampere, Finlândia)
Também foi erguido graças a financiamentos coletivos na internet e abriu as portas em 2017. São 100 jogos desenvolvidos e produzidos na Finlândia, expostos permanentemente em seis salas temáticas. Além disso, 85 jogos estão disponíveis para que as pessoas possam brincar. Jogos de cartas e de tabuleiro merecem alguma atenção. No primeiro semestre, o museu recebeu 100 mil visitantes.

6. Videogame Museum (Roma, Itália)
Embora o acervo seja um pouco menor – 440 jogos em 100 painéis que contam a história de cada um deles – ele traz uma proposta interessante: os próprios visitantes possam criar seus  jogos. Além de exposições temáticas, o museu romano organiza regularmente torneios de videogame.

Museu em Roma permite que visitante crie seu próprio jogo

7. Budapest Pinball Museum (Budapeste, Hungria)
Chamado de “maior museu interativo dedicado ao Pinball na Europa”, os húngaros dispõem de 130 máquinas espalhados por 400 metros quadrados de área. Dentre os itens mais impressionantes do acervo está uma mesa de hóquei da década de 1920. O museu faz sucesso entre as famílias e os nostálgicos pela era dos fliperamas: 82% dos 810 visitantes que avaliaram o local no TripAdvisor deram a avaliação máxima possível.

8. National Museum of Play (Rochester, Estados Unidos)
Não é apenas um museu de jogos de videogame, mas sim de jogos em geral. Existem salas dedicadas a jogos de cartas e jogos de tabuleiro, por exemplo. Dentre os games, o destaque vai para a coleção de 7 mil títulos japoneses. O museu, inaugurado em 1969, realiza exposições temáticas temporárias – uma delas foi dedicada às máquinas de fliperamas. O ingresso 14,50 dólares (cerca de 45 reais).

9. National Videogame Arcade (Nottingham, Inglaterra)
Foi o primeiro centro cultural dedicado aos videogames no Reino Unido e abriu as portas em 2015 como um apêndice da GameCity, organização fundada em 2006 para levar o universo dos games ao maior número possível de pessoas. Como o nome já sugere, o foco são os arcades e a ideia é fazer com que as pessoas brinquem, descubram e criem jogos. O local passou por uma crise financeira no ano passado, mas resistiu graças a investimentos externos.

Museu dedicado ao videogame em Nottingham é o primeiro do Reino Unido

10. Huis Ten Bosch Game Museum (Sasebo, Japão)
Um dos centros de desenvolvimento e produção de games no mundo, o Japão não poderia ficar de fora da lista. O Huis Ten Bosch Game Museum busca explorar a veia histórica do universo dos games. Dos principais jogos das últimas décadas, uma das únicas ausências é o Xbox One, que tem vendas muito mal sucedidas no Japão. Talvez a maior diferença em relação aos demais seja dar importância aos jogos do presente em vez de focar na nostalgia dos games do passado – que estão presentes em menor quantidade.

  • Share/Bookmark