O Guangzhou R&F, fundado em 1986, é uma espécie de “primo pobre” do futebol da cidade de Guangzhou, no nordeste da China, onde desembarcou em 2011, depois de sucessivas mudanças de nome e de cidade. Enquanto o rival Guanghzou Evergrande, treinado por Luiz Felipe Scolari, venceu as seis últimas edições do Campeonato Chinês e ganhou duas Liga dos Campeões da Ásia nos últimos cinco anos, o Guanghzou R&F tem como única campanha notável um terceiro lugar em 2014.

Ainda engatinhando no emergente futebol chinês, o R&F (a sigla é herdada de uma empresa estatal local, a R&F Properties, que atua no ramo imobiliário) não atrai muita torcida. A média de público – 9.780 torcedores por jogo – é a pior da Liga Chinesa. Dentro de campo, o desempenho no Yuexiushan Stadium também não estava nada bom. Depois de vencer os dois primeiros jogos em casa (o segundo no dia 12 de março, pela 2ª rodada), o Guanghzou R&F emendou cinco partidas sem vitória como mandante – dois empates e três derrotas.

Com uma campanha bastante interessante fora de casa (16 pontos dentre 27 possíveis) como visitante, o péssimo desempenho dentro de casa afastou o Guanghzou R&F das primeiras posições e o jogou para o oitavo lugar na 17ª rodada. Duas rodadas antes, a equipe havia perdido em casa para o Chongqing Lifan por 4 x 3 e a diretoria, então, resolveu agir. Reformulação no elenco? Treinador demitido? Nada disso. A solução encontrada foi pintar todas as 18 mil cadeiras azuis do Yuexiushan Stadium de dourado.

A tabela reservava à equipe quatro jogos em casa a partir da 18ª rodada. A estreia do “novo” estádio do R&F não poderia ser melhor. O time da casa venceu o Yanbian por 6 x 2 em 23 de julho, quatro meses e 11 dias depois da última vitória em casa, ainda na era das cadeiras azuis. Logo na sequência, nova vitória em casa, agora sobre o rival Guangzhou Evergrande, por 4 x 2. Na rodada seguinte, o terceiro triunfo seguido como mandante: 4 x 1 sobre o Liáoning. A sequência de quatro rodadas em casa terminou com quatro vitórias. A última foi ontem, um 4 x 2 para cima do Jiangsu Suning.

Com esses 12 pontos como mandante, o Guangzhou R&F pulou para 36 pontos e chegou ao quarto lugar. Como faltam apenas nove rodadas, alcançar o Guangzhou Evergrande, líder com 47, parece muito difícil. Mas o terceiro colocado, último dos classificados para a Liga dos Campeões da Ásia no ano que vem, é o Tianjin Quanjian, que está apenas um ponto na frente. A reação pode colocar o time na disputa continental em 2018.

Jogando em casa, Guangzhou R&F venceu duas vezes o rival Evergrande por 4 x 2

“O dourado do nosso estádio ficou muito legal e não vejo motivos para mudarmos”, comemorou o treinador sérvio Dragan Stojkovic no site oficial do clube, mencionando ainda uma outra vitória (4 x 2, contra o Guangzhou Evergrande, na partida de ida das quartas de final da Copa da China). “Estamos jogando para frente, do jeito que os torcedores gostam. Depois que mudamos a cor das cadeiras emplacamos cinco vitórias em casa”.  Domingo o R&F joga contra o Henan Jianye fora de casa para testar o poder da energia das cadeiras douradas como visitante. Na Copa da China, o dourado desbotou: o Evergrande venceu por 7 x 2 no jogo de volta e se classificou para a semifinal.

  • Share/Bookmark