Tem gente que ri quando falo que já tomei muita Fanta Guaraná. Você pode não se lembrar, mas já tivemos Fanta Guaraná no Brasil no final da década de 1970. E agora ela está de volta, conforme anunciou ontem a Coca-Cola. Ela foi trocada pelo Guaraná Taí em 1979, como parte de uma medida de substituição de produtos adotada pela Coca-Cola, dada a inviabilidade de manter refrigerantes muito similares simultaneamente nas prateleiras. Em 1997, o Taí acabou dando lugar ao Kuat na maioria dos Estados brasileiros, apesar de o primeiro ter sido encontrado por muito tempo no interior de São Paulo, em Minas Gerais e em Santa Catarina. Apesar de ter fórmula parecida com a do Taí, o Kuat tinha o apelo marqueteiro de usar como matéria-prima o autêntico “guaraná da Amazônia”, estratégia para atingir o concorrente Guaraná Antartica. Processo semelhante aconteceu com a Fanta Limão, que virou Sprite Limão.

A nova latinha da Fanta Guaraná

Apesar do histórico de venda da Fanta Guaraná no Brasil, em 2014, procurada pelo Blog do Curioso, a assessoria da Coca-Cola disse não encontrar (ou não querer encontrar) registros sobre a bebida em seu acervo. Mas recebi de presente de uma amiga uma garrafa de Fanta Guaraná vinda do Paraguai. Essas coisas mexem com nossa memória afetiva. Além do Brasil, que voltou a receber o produto, a Fanta Guaraná é vendida apenas no Paraguai (foto abaixo) e em Barbados. No Paraguai, a garrafa de 1,5 litro sai por cerca de R$ 4. Em Barbados, a propaganda do produto destaca uma mulata bem brasileira para deixar claro a origem da fruta. O site oficial da Fanta no Brasil anuncia atualmente apenas os sabores laranja, uva e guaraná.

No Facebook, uma fanpage chamada “Queremos Fanta Guaraná no Brasil” foi criada também em 2014. Depois de poucas e espaçadas postagens, a página mudou de nome ontem para “Fanta Guaraná voltou”. Há também quem defenda a volta da Fanta Limão, que eu também adorava e que existiu no Brasil entre 1978 e 1984. Acabou substituída pela Sprite. Encontrei Fanta Limão numa viagem à Espanha em 2008. Gosto de ficar procurando sabores diferentes de Fanta em viagens.  Já provei muitos sabores (veja a lista de todos os que eu provei neste post).

A volta da Fanta Guaraná irá fazer muita gente lembrar de outros refrigerantes que fizeram sucesso no Brasil e que não existem mais. Um bastante lembrado é o Cerejinha, produzido em Rio Claro (SP) pela cervejaria Mãe Preta nas décadas de 1960 e 1970. Hoje a empresa Belco, de Assis (SP), usa a marca e faz um refrigerante com esse sabor. Tomei muita Gini no recreio da escola e acho que a Schweppes Citrus tem cumprido bem o papel de substituí-la. Alguns supermercados de São Paulo têm importado refrigerantes dos Estados Unidos. Por isso, encontrei recentemente latinhas de 7Up e  Crush – no tradicional sabor laranja e também morango e cereja. O Grapette continua no mercado. É fabricado pela Saborama, de Taboão da Serra, na Grande São Paulo.

  • Share/Bookmark