A expressão “tomar um chocolate”, usada para times que levam goleadas do adversário, teria nascido depois de um Vasco 4 x Internacional 0, em 25 de janeiro de 1981, partida válida pelo Campeonato Brasileiro. A goleada foi encarada pelos vascaínos como uma vingança da derrota da final do Brasileirão de 1979. Essa história foi contada pelo jornalista Paulo Vinícius Coelho no programa “Loucos por Futebol” em 2011.
Na cabine da Rádio Nacional, o comentarista Washington Rodrigues, o “Apolinho”, lembrou do clássico “El Bodeguero”, do músico cubano Ricard Egües (1924-2006). Egües era flautista da Orquestra Aragón e a música entrou para o repertório de Nat King Cole. Para Apolinho, o refrão de “El Bodeguero” era bem apropriado para a ocasião: “Toma chocolate/Paga lo que debes”. Assim “tomar um chocolate” foi incorporado ao jargão futebolístico.

Washington Rodrigues, o “Apolinho”

 

“Eu estava comentando o jogo e o Vasco começou a tocar a bola no meio-campo”, contou Apolinho ao Blog do Curioso. “Então eu comecei a cantar essa música no ar. Na época, muita gente levava radinho de pilha para o estádio, então a torcida começou a cantar também. Pegou e eu comecei a usar nas minhas transmissões, assim como os meus colegas”.
Apolinho tinha na Rádio Nacional um programa diário chamado “A Palinha do Apolinho”, em que tocava músicas para zoar torcedores.

O pesquisador Max Gehringer não conhecia a versão de Apolinho. Para ele, o mais provável é que a expressão “tomar (ou levar) um chocolate”, como muitas outras na gíria do futebol, tenha sido criada por jogadores e depois é que chegou à imprensa. Gehringer encontrou a primeira referência à expressão na imprensa escrita no Jornal dos Sports em abril de 1982, mas no sentido inverso: Carlos Alberto Torres disse que o jogo do Flamengo contra o America estava “tão fácil que era só relaxar e tomar um chocolate”.
As duas primeiras menções no sentido de “vencer” (mas ainda não de “golear”) surgem no mesmo Jornal dos Sports em outubro de 1984: “Ficou tonto com o chocolate que o meio-campo vascaíno deu no jogo” (Vasco 2 x Campo Grande 0) e “Flamengo levou um tremendo chocolate na decisão do turno” (Vasco x Flamengo, mas na decisão do campeonato carioca de basquete, não de futebol). “O Jornal dos Sports era quase sempre o primeiro a levar para suas páginas expressões que seus repórteres ouviam dos jogadores durante os treinos”, afirma Gehringer.
Em São Paulo, os torcedores costumam atribuir a paternidade ao narrador Osmar Santos, mas não há registros que mostrem que ele inventou a expressão. A biografia “Osmar Santos – O Milagre da Vida”, de Paulo Mattiussi, traz uma lista com os bordões criados por Osmar e “tomar um chocolate” não está entre elas.

 

  • Share/Bookmark