A United Airlines está na boca do mundo inteiro de uma das piores maneiras possíveis. A companhia aérea só vê aumentar sua publicidade negativa desde que Auda Bridges divulgou em seu Facebook um vídeo gravado por ela momentos antes de seu voo com a United sair de Chicago para Louisville na última segunda-feira, dia 10. No registro de pouco mais de um minuto Audra mostra a Polícia do aeroporto retirando passageiros a força.

Um deles, inclusive, é arrastado pelos corredores da aeronave 3411. “Eles selecionaram aleatoriamente pessoas para deixarem o voo. Assim, a tripulação de reserva poderia ter lugares no avião. O homem arrastado é um médico e teve que ir para o hospital. Ele não quis sair. Nós ficamos nervosos e enojados”, escreveu Audra. Veja o vídeo:

Imagem de Amostra do You Tube

Enquanto a United tenta lidar com o prejuízo de imagem, a concorrência aproveita para brincar com a situação. A Delta Airlines, maior companhia aérea do país, já havia usado outro incidente para se promover. Em 26 de março, a United Airlines impediu duas mulheres de embarcarem em um voo de Denver para Minneapolis porque elas estavam usando roupas consideradas “inapropriadas”: uma calça legging. No dia seguinte, a Delta publicou um tweet que dizia: “Voar com a Delta é confortável. (O que significa que você pode usar suas leggings)”.

Em 10 de abril, já após o ocorrido em Chicago e antes que a própria United Airlines se pronunciasse, a Royal Jordanian comentou o assunto: “Nós gostaríamos de lembrar vocês que arrastamentos em nossos voos são terminantemente proibidos para passageiros e para a tripulação”.

Já a Emirates provou que a vingança é um prato que se come frio. Em 2 de março de 2017, o CEO da United Airlines, Oscar Munoz, declarou que as aeronaves das companhias do Golfo Pérsico, como a Emirates, “não são aeronaves”. A resposta veio com o episódio que manchou a imagem da United. Um vídeo de 31 segundos publicado no Twitter, recordou a declaração do CEO e rebateu: “Bem, Sr. Munoz, de acordo com o TripAdvisor, o maior site de viagens do mundo, nós não só somos uma companhia aérea de verdade, como somos a melhor. Em seguida, elencou os prêmios que recebeu: Melhor Companhia Aérea do Mundo, Melhor Classe Econômica e Melhor Primeira Classe. “Voe pelos céus amigavelmente com uma companhia aérea de verdade”, completava o tweet.

É claro que muitos internautas também brincaram com a situação. A Southwest Airlines, por exemplo, teve sua identidade visual usada para uma dessas brincadeiras. Na imagem, a companhia apresentava um novo slogan: “Nós batemos a concorrência. Não em você”. Como a arte não apareceu em nenhuma das redes sociais da empresa, o site The Dirty perguntou diretamente à direção da Southwest e recebeu como resposta: “Não é oficial e não foi produzido por nós”.

Diante do dano à imagem, a United Airlines se pronunciou rapidamente. Em carta do CEO Oscar Munoz, a companhia confirma o “horrível acontecimento” e pede “profundas desculpas” a todos, em especial ao passageiro arrastado: “Ninguém deveria ser tratado dessa forma”. Depois de assumir toda a responsabilidade, a companhia afirma ainda que “nunca é tarde pra fazer a coisa certa” e anunciou uma revisão completa em seus serviços, cujos resultados serão anunciados até o fim deste mês.

  • Share/Bookmark