Shogun, um cachorro da raça Pastor Belga Malinois, foi o responsável por desbaratar uma quadrilha de traficantes que transportava 35 quilos de drogas na última segunda-feira (6). O cão farejador do Denarc (Departamento de Investigações sobre Narcóticos) encontrou 29 quilos de crack, quatro de cocaína e dois de haxixe no pneu de um caminhão que passava pela cidade de Assis Chateaubriand (PR). A droga estava avaliada em 1 milhão de reais e a descoberta levou três pessoas para a cadeia.

Mas como os cachorros conseguem ter tamanha habilidade para farejar os entorpecentes? Para descobrir os segredos do treinamento de um cão farejador, conversei com o Capitão Alexandre Farrath, que comanda o canil central da Polícia Militar em São Paulo. Confira a entrevista que fiz ao lado de Caetano Cury no Manhã Bandeirantes.

Como é o treinamento de um cão farejador?
Desde o nascimento, ele é treinado para reconhecer um objeto e depois direcionamos para um odor específico. Muita gente pensa que o farejador tem contato com os entorpecentes, como a cocaína ou a maconha, mas isso não acontece. Ele é treinado apenas pelo odor dessa substância. Para o cachorro, é como uma grande brincadeira. Sempre que reconhece alguma substância ou um explosivo, ele ganha uma recompensa. Pode ser um brinquedo que ele gosta, ou um carinho do adestrador. Todo cão trabalha por condicionamento.

Quanto tempo leva esse treinamento?
No caso dos entorpecentes, depois de um ano e meio, ele já pode ser testado nas operações. Maduro mesmo só depois de dois anos de idade.

Quais são as raças que tem mais habilidade para esse tipo de ação?
As raças principais que trabalhamos aqui são Pastor Belga Malinois, Labrador e Springer Spanell. Dentro da mesma raça, existem cães que têm aptidão para esse tipo de trabalho e outros que não. Procuramos por cães que têm interesse pela caça, pela procura de algum objeto.

O cão tem habilidade para encontrar diferentes tipos de droga ou o condicionamento é para apenas uma específica?
Um cão é treinado para reconhecer até 25, 30 tipos de odores diferentes. Ele pode ser treinado para encontrar diferentes tipos de entorpecentes.

O cachorro corre o risco de inalar a droga?
Não. Ele não tem contato nenhum, até porque ela vem sempre embalada. Ele se guia pelo odor e nunca precisa encostar o nariz ou chegar muito perto porque já consegue sentir de longe.

Alguns traficantes disfarçam a droga colocando-as em meio a outras de odor forte.  O farejador tem a possibilidade de reconhecer o odor misturado a outras substâncias?
Sim. Quando usamos perfume, as outras pessoas sentem apenas o cheiro do perfume no nosso corpo porque ele se sobressai. Um cachorro consegue reconhecer o cheiro do perfume, do álcool que está contido no perfume, do suor do corpo, dos ácidos que compõem o suor… É um pouco diferente de nós. Os humanos possuem 5 milhões de células olfativas e os cachorros, em média, 250 milhões.

É possível um cão farejador detectar um usuário de droga?
Quando fazemos uma operação num local ou num veículo, é muito comum o cão indicar onde havia entorpecente, mesmo ele não estando mais lá.

Qual é a idade média de aposentadoria?
Em geral, aqui na Polícia Militar de São Paulo, oito anos. Porque é a idade onde ele começa a passar da fase adulta para a senil. Fica mais cansado. Também temos a preocupação de deixar o cachorro viver a velhice. Depois dos 8 anos, a primeira opção é que ele fique morando com o adestrador, que é a pessoa que esteve a maior parte do tempo com ele.

  • Share/Bookmark