Os ingleses são mundialmente conhecidos por sua pontualidade. Ou você nunca ouviu a expressão “pontualidade britânica”? A lenda diz que, se você combina de encontrar um inglês às 10h, pode apostar que, às 9h45, ele já estará lá. Chegar alguns minutinhos atrasado em um compromisso – como nós costumamos fazer por aqui – na Inglaterra é considerado deselegante.

A importância dada ao horário é tanta que os convites britânicos costumam ser bem específicos. Se estiver escrito “às 20h”, é esperado que você bata na porta exatamente na hora marcada. Em alguns casos, pode-se encontrar algo como “às 19h30, para jantar às 20h”. Isso quer dizer que, às 20h em ponto, o jantar será servido. Portanto, é desagradável que você chegue depois das 19h50. Alguns ingleses não se intimidam e escrevem com todas as letras: “20h em ponto”. Aí é bom mesmo não se atrasar.

Mas será que todo esse rigor ainda funciona na vida real? Apesar da fama de pontuais, 63% dos ingleses assumem ter o costume de se atrasar para compromissos. Em 2006, uma pesquisa encomendada pela companhia de celulares Dial-a-Phone Pay-As-You-Go revelou que a população britânica põe a culpa nos celulares. Isso porque a facilidade de se contatar a pessoa que está esperando deixa os acomodados mais à vontade para cometer deslizes na pontualidade. A pesquisa mostrou que cada britânico atrasa cerca de 37 horas por ano. A cidade britânica com a população menos pontual é Londres: 41% dos habitantes assumiram estar quase sempre atrasados para seus compromissos. Os 19% não pontuais de Cardiff, no País de Gales, fazem dela a cidade britânica mais pontual.

Em abril de 2009, 93,5% dos trens britânicos saíam das estações sem atrasos. Apesar de parecer impressionante, estatísticas semelhantes são observadas em outros países desenvolvidos. Em Nova York, 95% das partidas de 2011 foram registradas como pontuais. No Japão, 93,8% saíram na hora. O Brasil fica para trás: apenas 84% dos trens da CPTM que saíram este ano cumpriram o horário previsto.

Na aviação, a pontualidade dos britânicos também não bate completamente com a fama. De todos os voos que decolaram nos aeroportos da Grã-Bretanha em 2011, 72% tiveram mais de 15 minutos de atraso. Nos EUA, os números são mais favoráveis: 80% dos aviões que alçaram voo no ano passado saíram no horário previsto. Aqui no Brasil, cerca de 50% dos voos domésticos costumam operar com atrasos. Os ingleses culpam o frequente mau tempo e o excesso de voos de Gatwick (Londres), o aeroporto de pista única mais movimentado do mundo.

Movimento no aeroporto de Gatwick

Até o Big Ben, maior símbolo da pontualidade britânica, já apresentou algumas falhas ao longo de sua história, que teve início em 1858. Na virada de Ano Novo de 1962 para 1963, um acúmulo de neve provocou atraso de 10 minutos nas badaladas da meia noite. O relógio que rege a vida dos ingleses parece escolher as horas mais importantes para deixar de funcionar: em abril de 1997, na véspera das eleições parlamentares, o Big Ben parou de novo – problema que voltou a se repetir três semanas depois.

Big Ben

  • Share/Bookmark